Arquivo do mês: março 2010

A experiência ajuda. Aprenda com ela!

Recentemente recebi um email de um amigo da época de Especialização. Um indivíduo na dele, mas que vai longe. Foi soldado, tenente da PMDF e hoje é perito da Polícia Federal. O cara tem talento.

Agradeço ao ex-tenente Sousa Aguiar, hoje perito da PF, a participação no Blog Policiamento Inteligente, por meio da leitura dos textos e indicação de textos interessantes.

Apresento na íntegra o texto enviado por ele e a indicação do blog do companheiro da PF que o escreveu…

Após 13 anos de serviço, uma das coisas mais importantes que fiz foi ouvir e observar os policiais mais antigos ou experientes, principalmente durante os seis anos em que trabalhei na Delegacia de Repressão a Entorpecentes da SR/DPF/MG.

O termo ANTIGO é relativo, pois pode significar alguns anos a mais de serviço ou a experiência prévia trazida de outra força policial. Mas mesmo assim esses policiais sabem das coisas.

Então, o segredo é ouvir os policiais experientes, acreditar nas histórias que contam e colocar seus ensinamentos em prática na sua própria vida. “Quando você estiver chegando, tire o cinto de segurança!”; “Eu só atiro quanto tenho certeza!”; “Se puder beber, comer e descansar; beba, coma e descanse. Você não sabe quando poderá fazer isso de novo!”; “Policial não trabalha sozinho!”; “Calma! Ele vai continuar traficando, então a gente prende ele depois!”; “Algeme pra trás!”; “Fale pouco e ouça muito!”; “Não vá fazer m… hein!” e “Polícia não foi feita pra ajudar ninguém, mas no mínimo para atrapalhar!” são algumas frases que ouvi destes policiais.

Portanto, o que eu aprendi a partir disso abrange desde técnicas de sobrevivência até regras de comportamento que talvez tenham salvo minha vida em ocasiões que eu sequer percebi.

Não acredite em ninguém

Provavelmente, uma das coisas mais importantes que aprendi nesses anos é que as pessoas mentem. E não importa se são avós, pais, filhos, esposas, maridos, irmãs, irmãos, vizinhos, amigos, trabalhadores, desempregados, ateus, crentes, testemunhas ou mesmo suspeitos, pois todos eles mentem. Apesar de não mentirem sempre, com certeza todos eles mentem quando você conversa com eles.

Criminosos sempre mentem. Sempre. E eles vão lhe encarar direto nos olhos, transparecendo seriedade e inocência, e você será tentado a acreditar neles. Não acredite, porque eles estão mentindo.

Observe as mãos

Se um suspeito for lhe atacar, ele vai usar as mãos. Então, algeme qualquer um que transmita a impressão de que vai dar mais trabalho, mesmo que ele não goste disso. “Minha segurança em primeiro lugar, depois o sentimento alheio!” foi o que ouvi de alguém. Certa vez um preso me disse que eu não precisava algemá-lo porque ele iria se comportar. Bem, eu o algemei e disse que aquilo era para a segurança dos policiais e não pra dele. Ele não gostou nada, mas o fato é que eu ainda estou vivo, e aproveitando cada dia de sol. Lembre-se, quem diz como o trabalho policial deve ser feito é você e não o preso.

“As mãos matam!”. Foi o que disse um professor de tiro da Academia Nacional de Polícia. Então, observe as mãos constantemente já que você estará correndo risco até que consiga controlar as mãos do criminoso. Além disso, nenhuma academia de polícia ensina como algemar presos pela frente; e se o mundo inteiro algema criminosos para trás, você deve fazer o mesmo.

Sempre trave sua algema. Se ela não dispõe de um sistema de trava, então você deve descartá-la. Por quê? Porque todo delinquente é mentiroso, chato e folgado. Por isso, se sua algema não estiver travada, ele vai reclamar que ela está apertando até que você o algeme para frente. O problema é que algemado para frente, o bandido pode fugir, lutar contra você ou sacar sua arma.

Se você estiver entrevistando um suspeito e ele olhar para um lado, depois para o outro, e então sobre os seus ombros, provavelmente ele está procurando um lugar para onde correr. Algeme-o antes que ele fortaleça esta ideia e tome uma decisão.

Não adquira o hábito de colocar suas próprias mãos nos bolsos ou cruzar os braços na frente de um suspeito. Isso pode transmitir a impressão de que você é relaxado ou negligente. Além disso, você pode precisar dessas mãos para se defender. Então, é preciso que elas estejam disponíveis logo.

Faça uma busca pessoal. Faça outra busca pessoal

Em 28/05/2009 um policial civil foi assassinado e três foram feridos durante a condução de um preso. O preso foi detido pela Polícia Militar por estar embriagado e perturbando a ordem.

O suspeito foi levado à delegacia da Polícia Civil de Confresa/MT e colocado numa cela. Ao ser retirado do local, ele tirou um canivete da cueca e golpeou os policiais.

O investigador O.S. foi atingido no ombro e morreu em seguida; a escrivã A.G. recebeu dois golpes, um na cabeça e outro quase no pescoço; o policial M.M. foi gravemente ferido no abdômen e a investigadora M.S. também foi ferida.

O preso só foi contido quando a policial R.M.M. atirou na perna dele. Ao que tudo indica, as buscas pessoais realizadas pelas polícias foram mal conduzidas ou não foram feitas.

Portanto, se outro policial lhe entregar um preso, faça uma nova busca pessoal antes de assumir a custódia, mesmo que você tenha acabado de ver aquele policial fazer isso.

Faça uma busca pessoal em qualquer pessoa que esteja perto o suficiente para manter contato físico numa situação que pode se tornar crítica ou se você tiver a menor suspeita sobre algo.

Se você não se sente à vontade em “apalpar” alguém, você ainda pode realizar uma busca pessoal minuciosa. Assim, leve o suspeito até um cômodo reservado (cela, quarto, etc.) e mande que ele retire toda a roupa, mas uma peça de cada vez que deve ser entregue na sua mão. Reviste cada peça de roupa. Ordene que o suspeito, ainda nu, se agache de frente e de costas. Mande que ele levante os braços e depois as solas dos pés. Ordene que ele esfregue os cabelos com as mãos, depois abra a boca e ponha a língua para fora.

Dê uma geral em qualquer pessoa que entre na viatura, mesmo que seja aquele informante que já ajudou a polícia centenas de vezes. Afinal, informantes também são criminosos. Faça o mesmo ao colocar ou retirar um preso da cela. Reviste os bancos e o cubículo da viatura antes e depois de colocar um custodiado dentro do carro. É quando você pode achar drogas, lâminas, anotações, celulares, armas, etc.

Armas e equipamentos

Sua arma deve estar pronta, envolvida por um coldre de qualidade ou por suas mãos, e de mais ninguém. Dedo fora do gatilho. Já falei sobre isso em outros artigos.

Leve um carregador sobressalente. Se puder leve dois carregadores reservas. Conheço um policial que disparou 15 tiros contra dois assaltantes armados. Num piscar de olhos o policial ficou sem munição, mas por sorte os criminosos também ficaram sem munição. Você provavelmente deve conhecer casos semelhantes. Então, aprenda com as experiências dos outros.

Só atire quando tiver certeza de que é para salvar sua vida ou a de outra pessoa. Armas foram feitas para incapacitar pessoas, e muitas vezes até isso é difícil. Tiros não param aviões, automóveis ou motocicletas a não ser que você acerte o condutor – o que normalmente não é uma ideia razoável. Tiros também não abrem portas, sendo provável que o projétil atravesse a porta e acerte um inocente. Já vi esse tipo de ocorrência duas vezes!

Tenha sempre à mão um canivete tático dobrável e um alicate multifuncional. Certa vez, durante uma operação de DRE, aquela velha camionete D-20 de cor azul teve o cabo do acelerador quebrado numa estrada entre os municípios de “São Ninguém” e “Lugar Algum”. Mas foi o alicate multifuncional e um pedaço de arame de um antigão que nos tirou dali. Ele olhou para mim sorrindo e disse: “É pra isso que eu carrego estas coisas!”

Em algumas situações você pode levar alternativas menos letais, como um spray de pimenta, um bastão retrátil. Um bastão é o melhor substituto para a coronha de uma arma e para as mãos. Imagine que você precise quebrar o vidro de um carro para socorrer alguém. Sem esta ferramenta, talvez você se sinta forçado a quebrar a janela usando objetos que não foram desenvolvidos para tal fim.

Isso me lembra uma orientação muito importante: proteja suas mãos. Como são elas que vão salvar sua vida, você não deve fazer com elas aquilo que deve ser feito com uma ferramenta. Não ponha as mãos nos bolsos de um suspeito porque você pode ser ferido por lâminas ou agulhas.

Compre uma caixa de luvas de látex para procedimentos (luvas cirúrgicas). A caixa com 100 unidades custa cerca de R$ 15, o que é pouco pela proteção oferecida contra a imundice e o mau cheiro que normalmente são encontrados nas casas de pessoas investigadas. Recentemente, recebi um e-mail de um colega (que ganha R$ 7.500,00 por mês) dizendo que não iria comprar um kit de limpeza de arma (que custava R$ 20,00) porque isso era tarefa da União. Espero que ele compre pelo menos a caixa de luvas que custa 25% menos!

Cuidado com objetos que parecem inofensivos

Pessoas desesperadas podem atacá-lo com qualquer objeto à mão, especialmente na cozinha, no gabinete ou no cartório. Portanto, tenha cuidado com canetas, grampeadores, ferramentas, tesouras, facas, garrafas, etc. Lembre-se, observe as mãos e as algeme se suspeitar de algo.

Luzes

Compre uma lanterna de qualidade. Ser capaz de ver bem é tão importante quanto estar armado. Jamais compre estas lanterninhas xing ling que são vendidas nas feirinhas de importados. Compre logo uma lanterna Surefire, Streamlight, Fenix, Blackhawk, Inova, Ultrafire ou Pelican para situações táticas. Tenha sempre uma Mini Maglite 2AA ou Police para buscas diversas (o que economiza a bateria e a vida útil da lanterna tática) e uma lanterna de bolso 1AAA afixada no chaveiro do seu carro para as emergências.

Isso pode parecer um exagero, mas infelizmente tudo que depende da energia elétrica cedo ou tarde falha ou apaga.

Cuidado ao dirigir a viatura ou perseguir alguém a pé

Não dirija como um doido e ziguezagueando pelas ruas, mesmo numa situação de emergência. As pessoas demoram a ouvir as sirenes, a entender o que está acontecendo e o que devem fazer. Com uma viatura é muito fácil você chegar num cruzamento antes que os outros motoristas percebam. E se você se envolver num acidente, sua missão acaba aqui porque você não poderá ajudar ninguém se estiver incapacitado. Portanto, mantenha-se na faixa da esquerda, pois é isto que manda o código de trânsito e é o que os outros motoristas esperam que você faça.

Se você estiver perseguindo um criminoso a pé e notar que seus colegas sumiram, pare – eles terão dificuldade para encontrá-lo caso você precise de ajuda. Se você estiver perseguindo um criminoso e de repente ele sumir, pare – talvez ele tenha preparado uma emboscada.

Portanto, não banque o herói. Haverá outra chance para você prendê-lo algum dia ou ele será morto por um desafeto. De qualquer modo, você vence.

Entrevistando suspeitos

A primeira coisa que você deve fazer ao entrevistar algum suspeito é evitar perguntas idiotas. Isso parece óbvio, mas mesmo assim cito algumas perguntas que já foram feitas. Prepare-se! “O que você comeu hoje?”, “Você está armado?”, “Onde está a droga?”, “Este documento é falso?”, “Você vai fugir?”, “Esta arma é sua?”, “Por que você não diz a verdade?”.

O segundo aspecto numa entrevista é deixar que o suspeito fale. Quanto mais ele fala, mais mentiras ele conta. Ouça o que ele diz, tome nota e confira as informações. Se forem falsas, simplesmente diga ao suspeito que ele está mentido e que você sabe disso.

Quando você tiver alguém sob sua custódia, jamais comente assuntos relacionados à investigação. Não diga como você chegou até ele, nem revele qualquer informação que possa ser utilizada por ele para aperfeiçoar suas técnicas criminosas. E jamais conte o que ele fez de errado para que você conseguisse pegá-lo. Isto dificulta o trabalho da polícia depois. Recentemente, um preso reclamou que a polícia havia entrado muito cedo em sua casa. O policial respondeu que na verdade a polícia estava no local às 05h30, mas que ela só poderia entrar no local a partir das 06h. O policial ainda disse que era costume aguardar alguns minutos pra que todos os relógios marcassem este último horário. Em outra ocasião, um policial disse ao preso que tinha sido muito fácil prendê-lo porque ele foi desatento e não percebeu que estava sendo seguido. Infelizmente, alguns policiais querem mostrar que são bons profissionais, e acabam revelando informações que não deveriam.

Dê atenção ao instinto

Sempre use o bom senso. Sempre. E se você sentir que há algo errado, simplesmente acredite que há algo errado. Mantenha este foco mental até ter certeza se está tudo bem.

Sempre confie na sua intuição. Sempre. É o acúmulo das experiências que fazem sentido para você e que está trabalhando de modo subconsciente para mantê-lo a salvo. Isso me leva ao item “Não acreditem em ninguém”.

Abra seus olhos

Saiba que não existem presos “tranquilos” ou “gente boa”. As unidades prisionais espalhadas pelo país estão repletas de ladrões, assaltantes, homicidas, latrocidas, estelionatários, falsários, sequestradores, torturadores, estupradores, traficantes, etc. E nenhum deles é “gente boa” ou “tranquilo”. Se você ainda tem alguma dúvida, basta perguntar às vítimas!

Dos direitos dos presos

O artigo 42 da Lei 7.210/84 diz o seguinte: “Aplica-se ao preso provisório e ao submetido à medida de segurança, no que couber, o disposto nesta Seção.” A expressão NO QUE COUBER implica dizer que o preso não tem direito a tomar cafezinho, comer pão de queijo, fumar um cigarrinho, perambular pela delegacia como se fosse um funcionário ou ficar abraçadinho com a namorada.

Sugestões

Há dezenas de dicas que você pode acrescentar neste texto para torná-lo melhor. Faça isso e depois leia o artigo de vez em quando.

E não se esqueça de preparar uma BOROCA. Mas se você não sabe o que é isso, pergunte aos colegas mais antigos ou experientes.

*Este artigo é também uma homenagem aos colegas com quem tive a oportunidade de aprender na SR/DPF/DF, na DRE/SR/DPF/MG, no SAT/ANP e na DPF/UDI/MG.

Humberto Wendling é Agente de Polícia Federal e professor de Armamento e Tiro lotado na Delegacia de Polícia Federal em Uberlândia/MG.
E-mail: humberto.wendling@ig.com.br
Blog:

13 Comentários

Arquivado em Diversa, Reflexão

Suspeita de fraude no concurso da PMDF!

Os concursos para ingresso na Polícia Militar do DF sempre foram marcados por acusações (infundadas em sua maioria) de fraudes e quebra dos princípios constitucionais.

No passado era realizado pelo CESPE e algumas fases pela PMDF, o que fazia sempre “respingar” alguma coisa na PM.

Esse concurso foi marcado pela imparcialidade total da Polícia Militar ao entregar todas as etapas nas mãos da Contratada, que deve ser responsabilizada em caso de “fraude”.

Em meu email, após a prova, recebi algumas “denúncias” dessa natureza e as repassei a minha chefia, conforme solicitado pelos denunciantes. Providências já estavam sendo tomadas, independente de “denúncias” da Band.

Ninguém na Polícia Militar tem interesse em “fraudar” concurso ou beneficiar candidatos, isso é certo, pois conheço aqueles que estão a frente desse processo e sei que são homens e mulheres dignas e de total confiança.

Esse mesmo fato ocorreu em outros concursos (incluse da Polícia Federal) e infelizmente a contratada não tomou nenhuma providência. Já existem até cursinhos “preparatórios” para o psicotécnico do CESPE! Os testes são encontrados em sites, isso é fato.

O senhor conselheiro mais uma vez tenta aparecer diante dos holofotes, diante da “briosa”. Não o vemos atuando nos casos em que seus companheiros de tribunal estão sendo denunciados, isso sim seria sua função!

Creio que em breve essa situação será resolvida, receio apenas que os candidatos não entrem antes das eleições. O que ocorre hoje não é novidade, pois desde o início as mesmas pessoas tentam impedir esse certame. Antes era o “nível superior”, agora as “fraudes”, amanhã será porque o concurso é para contratação de PM´s. Quem sabe utilizarão o discurso de que precisamos mais de policiais civis que de PM´s…

Não duvido de nada…

Maiores detalhes:

Suspeita de venda de gabarito leva PM a suspender concurso

Letícia Nobre

Publicação: 29/03/2010 08:33 Atualização: 29/03/2010 09:06

O drama dos candidatos a soldado da Polícia Militar do Distrito Federal ainda não acabou. O conselheiro do Tribunal de Contas do DF, Renato Rainha, determinou a paralisação do concurso na noite de sexta-feira alegando suspeitas de venda do gabarito da prova psicotécnica. O departamento de pessoal da PM acatou a decisão e investiga o caso.

A denúncia partiu de uma reportagem veiculada no Jornal da Band de 19 de março, cinco dias depois da aplicação da prova psicológica. Segundo a matéria, um candidato anônimo de 24 anos diz ter comprado os gabaritos das quatro avaliações (raciocínio verbal, teste do relógio, raciocínio espacial e teste de placas), no local de prova, por R$ 20 cada. O denunciante garantiu que, por ter as respostas, conseguiu resolver as questões “em cerca de 10 minutos”.

“Apesar do Cespe ser o responsável por todo o processo seletivo, temos interesse em receber os 1,5 mil aprovados o quanto antes e, por isso, estamos ajudando na investigação”, explica o subdiretor do departamento de pessoal da PMDF, coronel Joociel de Melo Freire. Apesar de acatar a determinação do conselheiro, a corporação questiona o conteúdo da denúncia. “Desde já consideramos as denúncias improcedentes. É impossível fazer o teste psicotécnico em 10 minutos como o denunciante diz”, acrescenta. Esse tipo de avaliação tem resultados considerados subjetivos e individuais. O propósito é avaliar a personalidade do pretendente e a adequação ao perfil desejado para exercer o cargo.

Os candidatos que ainda estão na disputa vão, na manhã de hoje, protocolar um mandado de segurança no Tribunal de Justiça do DF a fim de garantir a continuidade da seleção. “Fizemos um abaixo-assinado e vamos entrar com um mandado de segurança”, afirma Enéas Filho, candidato a soldado. “Não há por que se basear em denúncias anônimas e, sem investigar, parar o concurso”, completa. O conselheiro Renato Rainha não foi encontrado para comentar o conteúdo do ofício.

Essa é a terceira paralisação do concurso. No ano passado, a polêmica girou em torno da exigência de nível superior para o cargo. Cerca de três mil fizeram a avaliação psicológica e aguardam o resultado que não será mais divulgado em 31 de março, como estava previsto. Depois dessa etapa faltará só a avaliação de títulos para a nomeação e o início do curso de formação. O concurso oferece 750 vagas mas 1.500 devem ser convocados. Durante o curso, os alunos receberão R$ 3.072,51 e, quando formados, passam a ter salário de R$ 4.056,59.

MEMÓRIA
2009

14 de janeiro – Publicado o Decreto nº 29.946 que altera a exigência de nível médio para superior na formação de soldados da PMDF.

26 de janeiro – Início das inscrições para o concurso de soldados. As 750 vagas oferecidas atraem cerca de 12 mil candidatos.

6 de abril – Impasse sobre a exigência de nível superior provoca suspensão da prova objetiva, marcada para 19 de abril.

6 de maio – Liminar judicial garante a continuidade do concurso e a prova objetiva é marcada para 13 de junho.

6 de agosto – Tribunal de Contas do DF determina a suspensão da seleção por tempo indeterminado por considerar ilegal as imposições do edital.

6 de novembro – Publicada a Lei Federal nº 12.086 que exige nível superior para soldados da PMDF, acabando com a ilegalidade da cobrança no concurso.

27 de novembro – Processo seletivo é retomado e é divulgado resultado da prova discursiva. São convocados candidatos aptos ao teste de aptidão física (TAF).

2010

21 de janeiro – Convocados os candidatos aprovados no TAF para exames médicos.

14 de março – Aplicada prova psicotécnica para aprovados no exame médico.

26 de março – Conselheiro do TCDF Renato Rainha envia um ofício ao Comando da Polícia Militar suspendendo o concurso.

Fonte: Correio Braziliense

Outros textos sobre o assunto:

23 Comentários

Arquivado em Concurso, polícia militar

Não podemos reclamar daquilo que toleramos!

Como venho fazendo há algum tempo, aos finais de semana, hoje quero escrever mais um daqueles textos reflexivos dos quais podem se recusar a ler.

Gostaria de refletir sobre respeito e tolerância!

Acredito que perdemos tudo aquilo que não respeitamos e não temos o direito de reclamar do que toleramos! Perdemos o respeito da sociedade por não respeitá-la!

Durante anos desrespeitamos o cidadão, cometendo abusos dos mais variados tipos. Durante muito tempo desrespeitamos os direitos humanos dentro e fora das Corporações. Toleramos a violência, o desrespeito, a falta de ética, a corrupção.

Como “exigir” respeito de uma população que foi abusada por nós durante tanto tempo?

Como “exigir” respeito de uma tropa que foi violentada, física e psicologicamente, durante quase duzentos anos?

Como nos aproximar de alguém que guarda tanta mágoa de nosso passado?

O policiamento preventivo precisa quebrar esse paradigma para evoluir!
Afastamos o cidadão porque o desrespeitamos. Atraímos a violência para o nosso dia a dia porque a toleramos em nosso meio!

É preciso repensar nossas práticas, de forma a ingressarmos em uma nova era, em um novo tempo. Quando passarmos a respeitar o cidadão e a tropa iniciaremos um círculo “vicioso do bem” que trará grandes benefícios para nossa Corporação! Esse processo foi iniciado nos últimos anos…

Precisamos deixar o orgulho de lado e reconhecer nossas falhas e nossos erros do presente e do passado! Somos resultado de nossas escolhas. O que escolhermos hoje definirá que Corporação nós teremos daqui a dez anos!

12 Comentários

Arquivado em Aderivaldo, Reflexão

O que um major e um soldado tem em comum II? (Entrevista completa)

Primeiro gostaria de pedir desculpas por não ter postado ontem. Mais uma vez a empresa Claro atrapalhou minha vida. Como aconselhei da outra vez, sugiro que não comprem o 3G dessa empresa.

Hoje gostaria de iniciar nossa conversa (monólogo) agradecendo aos amigos: Major Sant’Anna e Tony Sabbatini por divulgarem o vídeo do programa SEGURANÇA TOTAL onde fui entrevistado.

O blog do Major Sant’Anna iniciou um projeto fantástico e inovador, em parceria com o “Programa Segurança Total: falando de segurança com a cara do Brasil!” O programa está disponível na internet pela Yes TV.

É uma proposta que visa empoderar os profissionais de segurança e suas instituições, mostrando que “podemos tratar de forma madura as necessidades de segurança que estão ligadas à proteção do cidadão.”

Por meio de vídeos simples e diretos, de forma rápida, procura interagir com blogueiros do país inteiro, mostrando que os policiais são capazes de discutir as práticas policiais e repensá-las. É o início de uma grande “revolução”!

Esse projeto faz com que o blogueiro possa ser “visto” por seus leitores, aumentando a interação. Nós podemos nos apresentar de maneira simples e direta aos “seguidores” dos blogues e outras pessoas que ainda não são, assim, aumentando potencialmente seus acessos.

Nesse primeiro “bloco” (são três) discutimos sobre a criação de blogues, liderança, policiamento comunitário, a quebra de paradigmas nas Corporações policiais, o poder do conhecimento, dentre outras coisas.

Foi um “bate papo” interessantíssimo entre um “major” e um “soldado” de polícia. Cada um com a sua visão dentro de um grande respeito mútuo. Provando na prática que oficiais e praças podem “dialogar” em prol de uma polícia melhor!

A Polícia precisa mudar!
A Polícia está mudando!
A Polícia vai mudar!

Maiores informações clique nos links e visite os sites:

12 Comentários

Arquivado em Aderivaldo, desmilitarização das polícias, polícia comunitária, polícia militar, policiamento inteligente, Reflexão

O que é empoderamento?

Por diversas vezes utilizei o termo “EMPODERAMENTO” nesse espaço, mas creio que alguns podem não ter entendido o significado por completo. E se entenderam agregarei valor a esse conhecimento.

Ao entrar no blog do meu amigo, blogueiro, comandante e garoto propaganda (rrss ela sabe o por quê – rsr), Major Sant´Anna, achei uma definição interessantíssima que vale a pena compartilhar com os senhores.

Aproveito para indicar o texto na íntegra, pois aqui postarei apenas o conceito que nos interessa. Lá vocês terão acesso a maiores informações sobre o “empoderamento” e a necessidade de capacitação contínua!

Lembro aos leitores que o conhecimento é poder, quando bem direcionado, com objetivos claros!

Segundo Ferdinand Cavalcante Pereira, Doutor em Sociologia, Empoderamento significa em geral a ação coletiva desenvolvida pelos indivíduos quando participam de espaços privilegiados de decisões, de consciência social dos direitos sociais. Essa consciência ultrapassa a tomada de iniciativa individual de conhecimento e superação de uma situação particular (realidade) em que se encontra, até atingir a compreensão de teias complexas de relações sociais que informam contextos econômicos e políticos mais abrangentes.

O empoderamento possibilita tanto a aquisição da emancipação individual, quanto à consciência coletiva necessária para a superação da “dependência social e dominação política”. Enfim, superação da condição de desempoderamento das populações pobres, as quais segundo Nyerere (1979), não podem se desenvolver se não tiverem poder.

Fonte:

1 comentário

Arquivado em polícia militar, policiamento inteligente, reestruturação das polícias

Ações de policiamento comunitário!

Sempre que falo em policiamento comunitário procuro diferenciar a “filosofia” de suas “ações”. Gosto de lembrar que, em minha opinião, existem as ações macro (institucionais) e micro (individuais) para a efetivação de um “policiamento comunitário”, o que ainda estamos longe de atingir, pois não “fazemos” policiamento comunitário. Nós temos ALGUNS policiais comunitários!

A distância entre ter policiais comunitários e fazer policiamento comunitário é grande!

Em meu trabalho monográfico dei o exemplo do Riacho Fundo como uma cidade avançada nessa área. Continuo com a mesma opinião. Os policiais daquela unidade a cada dia estão absorvendo mais e mais essa filosofia. Um grande exemplo é a gestora do posto nº 13, Sargento Paula, que desenvolve ações sociais e culturais para atrair a comunidade e difundir a filosofia. Esse é o principal motivo para se desenvolver alguma atividade em um quartel ou em um posto comunitário. Difundir a filosofia de forma clara e objetiva, demonstrando respeito ao cidadão.

A escolha da cidade para a demonstração de nosso “modelo” comunitário à “comitiva” de Gana é um exemplo. É importante mostrarmos a comunidade que ela têm importância e que está se destacando das demais devido à sua participação. É gratificante ver um comandante (Major Antônio Carlos) comunicando-se em inglês com a delegação, demonstrando o grau de qualificação de nossa tropa.

É importante termos profissionais engajados em um objetivo, que vestem a camisa de nossa Corporação e das comunidades onde atuam! Ainda falta muito para atingirmos o objetivo. Muitas críticas ainda virão dos defensores dos modelos falidos e violentos de polícia. Mas que venham as críticas e as mudanças, pois elas são necessárias em nossa polícia e em nossa sociedade! É passada a hora de “evoluirmos”…

Visita da Delegação de Gana à Brasília
23/3/2010 15:44:00

Gilmar Santos e Parente
da Comunicação Social

O governo de Gana criou uma Comissão Nacional de Armas Leves em 2007, composta por funcionários de diversas agências governamentais e por representantes da sociedade civil, que tem a função de reunir informações e orientar políticas relacionadas a armas pequenas e leves.

A comissão formada pelo Diretor Geral de Operações da Polícia de Gana, John Kudalor, Atta Egyir Fynn Mends, representante indicado pelo presidente, Nick Darbo, funcionário de aduana, Appiah-Agyapong, diretor de operações das Forças Armadas de Gana, Daniel Andoh, gerente do PNUD, Ebenezer Sam, Funcionário de políticas de armas leves do Ministério do Interior, Mário Augusto Morato Pinto Secretário do MRE, Departamento de África I e Dojo Assan, ministro do Conselho da Embaixada de Gana no Brasil, está visitando o país e posteriormente os Estados Unidos, por serem países experientes em relação ao uso e controle de armas leves.

O comandante da 19ª CPMInd, Major Antonio Carlos, recebeu a comissão nesta manhã (23/03), onde conheceram alguns projetos sociais realizados pela companhia. Além dos projetos sociais, a comissão também foi informada sobre o funcionamento dos Postos Comunitários de Segurança e de como funciona a interação policia/comunidade, utilizando o policiamento comunitário fixo e móvel de segurança, assim como os equipamentos utilizados pelos policiais militares no dia a dia do serviço.

Fonte:

3 Comentários

Arquivado em polícia comunitária, policiamento comunitário

Sucesso de blogues de comandantes!

Uma amiga uma vez me disse que durante suas aulas do mestrado em Ciência da Informação uma professora afirmou que os blogs revolucionariam a comunicação nos próximos anos. Acreditei nessa afirmação e criei um…

Ao ver o Blog Policiamento Inteligente no mês passado atingir mais de dezesseis mil visitas e esse mês já ter ultrapassado a marca das vinte mil só me faz acreditar que acertei. Vendo os blogs de comandantes-gerais espalhados pelo Brasil, começo a ver uma revolução silenciosa aos moldes de “revoluções” do passado: “Façamos a revolução antes que o povo a faça”, uns diziam!

Independentemente de quem as fez, é fato que elas ocorreram!

E deixo claro que ao fazer essa afirmação não estou criticando. Na verdade estou admirando a coragem dos vanguardistas que assumiram sua condição de blogueiros! Coloco-os como “revolucionários virtuais”. Verdadeiros guerreiros da “matrix”!

O Blog Repórter de Crime publicou um artigo interessante sobre o blog do comandante-geral de São Paulo, que resolvi divulgar para vocês, amigos leitores…

Enviado por Jorge Antonio Barros – 19.3.2010| 18h22m

Comandante da PM de São Paulo faz sucesso com blog

O comandante-geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel Álvaro Camilo, de 48 anos – 28 anos dos quais como policial – está à frente da maior polícia do país e a terceira maior da América Latina. Ainda assim conseguiu tempo para fazer um blog oficial para se comunicar com a sociedade e com a tropa.

Durante o IV Encontro Anual do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, onde esteve na mesa de abertura, esta semana, o comandante me concedeu a honra de uma entrevista exclusiva para o REPÓRTER DE CRIME, com o qual vai firmar parceria para a troca de links dos sites. Ele vai publicar o link deste blog e eu vou publicar o link do blog dele aqui. Uma prova inconteste de que há sim possibilidade de diálogo entre as forças de segurança pública e este blog. Basta apenas haver interesse por parte das polícias.

Fonte:

6 Comentários

Arquivado em polícia militar, reestruturação das polícias

O cumprimento de nossa missão é nossa glória e o anonimato nossa oferenda!

Ontem recebi um texto muito interessante de um leitor do Blog. É uma verdadeira oração. Lembro-me que desde pequeno, ao sair para alguma viagem mais distante, sempre lia esse salmo, e hoje adulto ao sair para uma operação mais perigosa, continuo lendo.

Gostaria de compartilhar esse texto com cada leitor para que possamos refletir e nos interiorizamos com ele, pois isso nos faz crescer e amadurecer como seres humanos e profissionais!

Trata-se de uma paráfrase do Salmo 91 inspirada por outra paráfrase feita por Rubem Alves sobre o Salmo 23 e também num texto, Policial diante de Deus, divulgado na net sem autor certo.

Força sempre Senhores!

Há certezas incontestáveis na vida e talvez a maior delas seja a morte.
Pois bem, chegou o dia último do Policial que serviu na terra e em poucos segundos sem entender o que havia ocorrido já estava aos pés de Jesus.

Logo o Mestre o interpelou:

– Salve meu filho, antes de seguir o caminho, preciso que me digas o que trazes em teu coração.

Esse policial, como sempre, nunca dizia muita coisa, mas nesse instante parou e pensou o mais profundamente que pôde e ato contínuo tentou dizer o que levara em seu coração até aquele momento.

– No meu coração Senhor, eu trago meu Pai e uma história que me contava quando criança. Sobre essa história nunca deixei de refletir.

– Meu pai falava-me sobre a honra e o valor daquele que habita na verdade de Deus; que vive sob sua sombra, que confia Nele e que O tem como refúgio e fortaleza.

– Dizia que Ele era como uma Águia que iria cobrir-me com suas asas e proteger-me das armadilhas e da doença, se assim eu merecesse.

– Por isso, se quer saber Senhor, nunca tive medo nem da noite nem do dia.

– Devo reconhecer que não fui à igreja, mas sempre confiei naquela Águia; sempre soube que suas penas seriam meu Colete e que guiaria minha arma.

– Por isso, infelizmente Senhor, quando, para salvar-me ou para salvar a outrem, por mim, os maus tiveram sua recompensa, minha alma se encheu de dor e tristeza mas mesmo assim soube em Quem buscar refúgio.

Enquanto falava sobre esse aspecto da sua missão, um amargor dominou seu espírito, mas ele continuou assim mesmo.

– Como na história de meu pai, muitos caíram a minha direita e outros caíram ao meu lado Senhor, mas nenhum mal chegou a minha casa. Também nenhum mal conseguiu chegar a outras várias casas.

– Soube desde os primeiros dias que alguém guardava meu caminho e estive seguro Senhor que foi por isso que dominei tantos leões e pisei sobre tantas serpentes que subjugavam os mais fracos e oprimidos.

– Peço perdão Senhor; sei que nem sempre cumpri todos os mandamentos; sei que nem sempre fui amistoso com meus semelhantes e que talvez não tenha o merecimento da sua paz. Contudo, Senhor, fui honesto, fui um forte e tentei ser o mais justo possível quando deparei-me com os fracos de caráter.

Depois disso, calou-se o guerreiro como que oferecendo, respeitosamente, o momento para a sentença do Mestre.

Jesus, naturalmente sabia o que passara no coração daquele homem, e para surpresa dele, finalizava aquele encontro com algumas das últimas palavras que seu Pai costumava dizer antes de terminar o Salmo 91 – A história que o policial escutava de seu pai.

– Acalme-se meu filho, realmente não fostes à igreja, mas “porquanto tão encarecidamente me amou pela prática, também eu o livrei; o coloquei em retiro alto sempre, porque conheceu o meu nome pela verdade de seus atos; a confiança que teve nas palavras de seu pai foi como uma invocação diária do meu poder, e por isso, estive com você nas horas de angústia e delas o retirei com vida.

– Acalma o seu coração filho, o cumprimento de tua missão foi sua glória e o anonimato a sua oferenda.

– Foi por tudo isso, que te dei tantos dias na terra e por isso, abro-lhe as portas da sua nova morada para mostrar-lhe a salvação.”

Uma paráfrase do Salmo 91 da Bíblia Sagrada.
Sandro Adriano Costa Machado

12 Comentários

Arquivado em polícia militar, Reflexão

Reajuste salarial 2010!

Hoje farei um pequeno resumo sobre as publicações referentes ao nosso reajuste salarial para os próximos anos. Pela primeira vez vejo uma “unificação” de percentuais na Secretaria de Segurança Pública. Espero ver o dia em que estaremos “unificados” salarialmente, nessa mesma Secretaria.

Policiais (é bom frisar policiais) e bombeiros ganhando igualmente, sem distorções e privilégios para uma ou outra categoria. Esse é o caminho a ser trilhado!

Postarei a publicação do Correio, retirada do Blog do Sabbatini:

Está dado o primeiro passo para os reajustes salariais das corporações ligadas à Secretaria de Segurança Pública do DF. Reunião entre o governador em exercício do DF, Wilson Lima (PR), e representantes sindicais da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros definiu os percentuais de aumentos para os próximos três anos (leia quadro). A previsão é de reajustes totais de 33% no período, mas a proposta depende de aprovação da Presidência da República. Isso porque os pagamentos de tais servidores saem do Fundo Constitucional do Distrito Federal .

A intenção do Governo do Distrito Federal (GDF) é de que os reajustes iguais às três corporações sejam concedidos em cinco etapas: 5% em setembro de 2010; 7% em março e 7% em setembro de 2011; e 7% em março e 7% em setembro de 2012. A expectativa das categorias é de que a proposta seja encaminhada ao governo federal até a próxima segunda-feira. Ela será analisada pelo Ministério do Planejamento, que irá refazer as contas feitas pelo governo local para avaliar se os percentuais não ferem a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Se aprovada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a proposta candanga deve ser submetida ao Congresso Nacional. Pode ser, assim, apreciada por meio de medida provisória (MP) ou projeto de lei (PL). O deputado federal Laerte Bessa (PSC-DF), que participou das rodadas de negociações e da reunião da última terça-feira, defende o uso de uma MP. “Uma medida provisória tem efeito imediato. Também corremos contra o tempo, pois os aumentos nas remunerações têm de sair antes do início do período eleitoral”, explicou.

Para o capitão Rômulo Flávio Mendonça Palhares, diretor de Articulação Política da Associação dos Oficiais da Polícia Militar do DF, o consenso em torno do acréscimo às remunerações salariais deve ser encarado como uma conquista para a própria corporação. “A PM não teve reajustes no ano passado. Nós, junto com o Fórum de Associações de Oficiais e Praças da Polícia Militar, encaramos essa definição como uma compensação”, afirmou o policial militar. Os servidores da Polícia Civil contaram com crescimento salarial de 3% em 2009.

Os aumentos deverão beneficiar cerca de 37 mil funcionários da segurança pública da capital do país, entre ativos e inativos. Existem hoje cerca de 28 mil policiais militares e bombeiros e 9 mil agentes civis. Bonificações por risco de vida estão mantidas nas folhas de pagamento, pois não entraram na conta dos 33% de reajuste entre 2010 e 2012. O GDF informou, por meio da assessoria de imprensa, que ainda não há previsão para o envio da proposta salarial das três categorias à Presidência da República.

Observações da ASOF: Fórum de Associações de Oficiais e Praças da PMDF e CBMDF e não somente da Polícia Militar; O aumento não repassado aos militares do DF no ano de 2009 é de 3,98%; A compensação está no não abatimento da gratificação do risco de vida no aumento.

Fonte: Blog do Sabbatini

Sobre o mesmo assunto várias publicações foram feitas no Blog do Comandante-geral. Os comentários são esclarecedores e demonstram a boa vontade e transparência de nosso comando. Vejam o que ele disse em seu blog:

POSTAGEM EXTRA: “REAJUSTE SALARIAL”
16 de março de 2010
Prezadas e prezados Policiais Militares,

Em reunião terminada às 20h30min de hoje (16/03/10), com todos os parlamentares representantes da PMDF, BMDF e PCDF, Comandantes Gerais e Diretor dessas Corporações, Secretário de Segurança Pública, Chefe da Casa Militar, Secretário de Fazenda e o Governador do Distrito Federal, ficou decidido os seguintes percentuais de reajuste para todos os órgãos da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal:

Setembro de 2010 = 5%
Março de 2011 = 7%
Setembro de 2011 = 7%
Março de 2012 = 7%
Setembro de 2012 = 7%
No caso dos Militares, o impacto da Gratificação por Risco de Vida que já está na Lei 12.086 não será considerado, ou seja, não será deduzido nos percentuais da proposta nenhum benefício já adquirido.

O prazo para assinatura da mensagem dos projetos de modo conjunto será até a próxima segunda-feira (22/03/10), momento em que o Governador reunirá todos os órgãos de representação das Corporações.

A proposta encaminhada enquadra-se nas limitações da Lei de Responsabilidade Fiscal, o impacto tem condições de ser absorvido pelo Fundo Constitucional e está dentro do planejamento da política de recomposição salarial do Distrito Federal.

A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR
19 de março de 2010
Prezados Policiais Militares,

Ainda sobre o reajuste, que tem gerado algumas dúvidas, principalmente sobre qual será a referência para a incidência do percentual anunciado, informo-vos que será sobre a remuneração.

POSTAGEM EXTRA: ANTECIPAÇÃO DE CRONOGRAMA
19 de março de 2010
Prezados Policiais Militares,

O Governador Wilson Lima assinou no dia de hoje (19/03/10) e já enviou a Presidência da República a mensagem solicitando a edição de Medida Provisória que trata do reajuste dos segmentos da Segurança Pública do Distrito Federal, portanto, antecipando a providência que seria adotada na próxima segunda-feira, o que significa a aceleração do processo.

A partir da próxima semana, monitoraremos o andamento do projeto no âmbito da Presidência da República, uma vez que este processo é compartilhado com a esfera Federal.

Estamos atentos e vigilantes ao desenrolar dos fatos.

Mais uma etapa foi vencida!

Boa noite e bom final de semana!

Fraternal abraço!

CEL Martins

Comandante Geral

Fonte: Blog do Comandante-geral da PMDF

Maiores detalhes visite os sites:

http://www.pmdf.df.gov.br/blogdocomandante/

http://tonysabbatini.blogspot.com/

Ver texto do Blog Policiamento Inteligente sobre o Tema:

11 Comentários

Arquivado em polícia militar

Vencer ou vencer!

Hoje farei como sempre tenho feito aos finais de semana. É mais um daqueles textos introspectivos, que estão liberados para não ler.

A escola da vida está me ensinando que nossa jornada nessa terra é feita de altos e baixos, ganhos e perdas, vitórias e derrotas, preenchimentos e vazios. Tenho “aprendido a aprender” com as derrotas da vida e a tirar lições que me acompanharão até o fim do caminho.

Em vários momentos, no auge de meu sofrimento, pensei em desistir de tudo, inclusive da vida, mas graças aos amigos e minha família isso não aconteceu. Hoje percebo a importância de algumas coisas terem acontecido em minha jornada. É como se eu estivesse sendo treinado para tudo que estou vivendo atualmente. Aprendi que para recebermos coisas novas temos que abrir mão das velhas e que atraimos tudo aquilo que respeitamos. Você atrai aquilo que você é! O que você tem atraido ultimamente, caro leitor?

Gostaria de deixar uma história para nossa reflexão:

Há muito tempo, um grande guerreiro se viu diante de uma circunstância em que era necessário tomar uma decisão que garantisse a vitória no campo de batalha. Devia lançar seu exército contra um poderoso adversário, que contava com tropas muito mais numerosas. Embarcou seus homens em navios e velejou rumo ao país inimigo. Lá, desembarcou soldados e equipamentos e deu ordem de queimar os navios em que tinham viajado. Dirigindo-se aos seus homens, antes da primeira batalha, disse:

– Vocês estão vendo os navios em chamas. Isso significa que só sairemos vivos daqui se vencermos! Agora, não temos escolha. É vencer ou morrer!

Eles venceram.

Em resumo essa história tenta nos mostrar que:
Quem quer ter sucesso em uma empreitada precisa queimar os navios e cortar todas as possibilidades de bater em retirada. Somente assim conseguirá manter o estado de espírito conhecido como DESEJO ARDENTE DE VENCER, essencial ao sucesso!

“Todo fracasso traz consigo a semente de um sucesso equivalente.”

3 Comentários

Arquivado em Reflexão