Arquivo do mês: agosto 2015

Valeu a pena tudo que fiz até hoje?

Durante quarenta dias resolvi focar exclusivamente no seio da minha família. Durante vinte um dias estive em jejum e oração (jejum de Daniel) para refletir sobre tudo que vou escrever agora. Creio que foi a melhor coisa que eu fiz na vida.

Desde meus quinze anos de idade estou no meio político e desde 1999 que vivo exclusivamente para a Polícia e a Política. Meu desejo era administrar o Riacho Fundo um dia. Nestes dias tenho percebido o quanto desperdicei meu tempo em reuniões infrutíferas e em batalhas desnecessárias.

Adriana - 104

A felicidade ao lado da família e o rostinho da minha filhinha me faz perceber que não valeu a pena todo o desgaste e ausências vividas neste período. Fiz a coisa certa ao abrir mão deste sonho ao me mudar para Ceilândia, ao reconstruir minha vida e ao buscar um maior equilíbrio em tudo que faço.

Lembro do meu filho (Gabriel Brilhante) um dia me perguntando ao me ver dizendo que seria candidato um dia: “Pai, o senhor não vai virar ladrão não, né?”. Estas palavras sempre me fazem refletir sobre o meio que vivo. Outra frase que ecoa em mim é do José Antonio Reguffe, quando um dia ele me disse: “meu amigo, nunca abandone seus valores e princípios, nunca!” Na política é horrível ser criminalizado todos os dias.

20150812003406

Gosto da política, mas prefiro me ver como alguém vocacionado, não um profissional em seu meio. A vida tem me dado a chance de recomeçar e de repensar tudo que já fiz. Talvez seja a hora de reavaliar também minha caminhada “política”. O saldo do último ano e as perseguições vividas pelo comando da corporação e pela corregedoria me fazem refletir: valeu a pena? Cinco IPM´s, duas sindicâncias e um conselho de disciplina por dar minha opinião nas redes sociais. É possível mudar a sociedade, quando as pessoas desta sociedade não querem mudar? É possível mudar a política se aqueles que se beneficiam dela não querem mudar? São reflexões que faço neste momento e compartilho com vocês. Boa noite a todos!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em polícia militar

A saga por uma vacina na rede pública de saúde!

Somente quando nos colocamos no lugar do outro, ou quando precisamos de algum serviço público é que podemos tirar nossas conclusões sobre determinados assuntos. No dia 18 de agosto (segunda-feira) minha filha foi tomar as primeiras vacinas. Fomos a um posto de Saúde na Ceilândia. O primeiro ponto que observei foi a falta de acesso (simbolicamente e na prática), pois não tem entrada asfaltada, o segundo as janelas quebradas, o que representa seu abandono, após isso, já dentro do posto um copo de açaí no chão, algodão e outras sujeiras, até gaze com sangue na porta de entrada, algo de se estranhar em um hospital. Saúde e sujeira não se mistura. Para completar a triste notícia, não tinha naquele posto de saúde vacinas BCG, nem vacina contra Hepatite.

mesmo-com-plano-de-saude-maes-do-plano-piloto-preferem-pediatras-da-rede-publica

Foto ilustrativa de outro posto

Fomos para outro posto, lá chegando a falta de acesso também é visível, o interessante é que é bem próximo a administração regional. Lá dentro a triste constatação: a saúde pública no DF está falida. E digo, não é falta de dinheiro, é falta de gestão e de prioridade. Sabe por que digo isso? Porque no posto tinha a vacina, mas não tinha agulha, segundo a enfermeira há mais de três meses. Sabe quanto custa uma agulha? Cinquenta centavos (0,50). Eu queria comprar umas cem e doar, não aceitaram. Nos postos de saúde, UPA´s e Hospitais deveria ter uma CESTA BÁSICA DA SAÚDE. Existem coisas que não podem faltar em um hospital: médicos, agulhas, gazes, limpeza e medicação, isso incluí vacinas, é o mínimo! Espero que o atual governo melhore o quadro caótico em que se encontra a saúde no DF.

11923599_1058334050843271_5862726521869452019_n

Modelo de agulha que estava em falta. Dado por uma enfermeira

Hoje, dia 20 de agosto é o terceiro posto de saúde que visitamos na Ceilândia tentando dar uma vacina contra hepatite. Desta vez viemos ao Posto de Saúde nº 08. Chegamos as 10h25min. Para nossa surpresa o segurança nos mandou voltar, juntamente com outras mães, as 13h30min. Sabe o motivo?

11899802_1059151407428202_7558642836796567049_n

Posto numero 08 de Ceilândia as 10h25min

O posto estava cheio e existe um limite de atendimento pela manhã. A saúde primária não é levada a sério. O cidadão é tratado como “João Bobo”, aquele dos postos de gasolina, jogados de um lugar para outro. Precisamos apenas de uma vacina, fico imaginando se precisasse do pré-natal, do parto e de outros atendimentos. E quem não tem carro? Como iria para tantos postos? Como disse, chegamos lá por volta de 10h25min, por volta de 11h15min a sala já estava vazia, já haviam feito a limpeza do local e os profissionais de saúde já estavam saindo para o almoço. Às vezes não basta mudar apenas um secretário. É preciso mudar uma cultura no serviço público. É preciso mudar também os gestores que estão acomodados em suas funções. Quem sabe fazer um concurso específico para gestores públicos para diversas áreas do setor público, assim como é feito na área federal. Precisamos de uma solução que tire a saúde pública da UTI. 

11921605_1059191930757483_172043662990862345_n

Foto do mesmo posto as 11h15min

A saúde pública está na UTI. Não é somente falta de dinheiro. Falta planejamento, gente qualificada, servidores comprometidos, gestores eficientes. Enquanto a saúde não se recuperar nenhuma festa deveria ser financiada com dinheiro público nesta cidade. Vergonha!

É impressionante como os Postos de Saúde estão abandonados nos últimos vinte anos. Estive refletindo sobre o fato. Será se o projeto “saúde em casa” contribui para o abandono dos postos? Durante dezessete anos fui atendido em posto de saúde pelo mesmo médico no Posto nº 07 da Asa Sul, lembro bem dele, Doutro Maurício, funciona bem. Atualmente, parece que os postos e a prevenção primária foi deixada de lado. Precisamos resgatar a prevenção. Cabe ao novo governo ressuscitar a saúde pública do DF. Irá conseguir? Somente o tempo dirá.

Depois de muito insistir e reclamar Sophia foi vacinada contra Hepatite e BCG. Não podemos deixar de nos indignar com as coisas erradas. Quem se cala diante do erro é cúmplice.

Deixe um comentário

Arquivado em Reflexão

A grilagem de terras precisa ser combatida no DF

O início do governo Rollemberg tem sido marcado pelo combate à grilagem de terras em Brasília. O objetivo tem sido mostrar para a população de Brasília que uma cidade não é feita apenas de áreas residenciais. Uma cidade vai além das residências e do comércio.

Quem conhece a trajetória do atual governador sabe que durante seus mandatos ele destacou-se no combate a grilagem de terras públicas e pela defesa do turismo local. Ele durante o governo Cristovam Buarque iniciou o Projeto Orla, de desenvolvimento do lazer e turismo na Orla do Lago Paranoá, e implementou o turismo cívico.

Muitas críticas são feitas quando se derrubam casas irregulares, as críticas são sempre feitas no sentido de dizer que deveriam evitar que as invasões sejam concretizadas. E que depois de concretizadas devem ser regularizadas. Seria mesmo isso?

Precisamos compreender que Brasília precisa ser preservada e protegida. Não podemos inverter os valores. Brasília cresceu desordenadamente por causa da omissão de vários governantes, por falta de se evitar as invasões houve um crescimento desordenado que gerou graves problemas.

Uma reflexão precisa ser feita: a quem pertence o patrimônio público? O bem público pertence a todos, infelizmente às vezes fica parecendo que o patrimônio público não pertence a ninguém.Precisamos deixar a hipocrisia de lado.

O patrimônio público precisa ser preservado. Grilagem é crime. Precisa ser combatida. Nosso patrimônio público Não pode ser dilapidado. As próximas gerações precisam de uma Brasília que tenha qualidade de vida e espaços públicos preservados.

Precisamos de governantes que tenham coragem para fazer a coisa certa: proteger Brasília e o Patrimônio público, pois ele pertence a todos nós, mesmo parecendo que não pertence a ninguém. Cabe aos governantes estabelecer a ordem em nossa cidade.

20150804090631904657e

Deixe um comentário

Arquivado em polícia militar

Feliz dias dos pais

11836858_1051265734883436_5036169979464521263_n

Deixe um comentário

agosto 9, 2015 · 10:19 am