Arquivo do mês: março 2009

Resultado da reunião com o governador:

SEM COMENTÁRIO

7 Comentários

Arquivado em Aderivaldo

Pacote de segurança!

 É impressionante o poder que a imprensa exerce sobre nossos governantes. A Rede Globo e  o Correio Braziliense  ao exercer seu papel dentro da democracia provocou uma resposta rápida a sociedade  por parte do governador.

Lembro-me da faculdade, principalmente das aulas de administração, quando estudávamos conceitos de planejamento estratégico a curto, médio e longo prazo. Às vezes “viajo” no conceito de gestão estratégica, tentando imaginar um serviço público sendo administrado por verdadeiros gestores.

É impossível ler o texto abaixo e não me indignar.

Ver alguém que administra o DF dizendo que irá abrir concurso para 1500 soldados, quando só existe autorização para 750;

Ver um jornal afirmando que a nomeação de técnicos penitenciários irá colocar MAIS policiais na rua e isso será a solução. A polícia civil nunca foi POLÍCIA PREVENTIVA;

O concurso para soldado da PM leva em média um ano entre as provas e o curso. Estamos há oito anos sem curso,  faltou planejamento, não há dúvida;

Existe uma pressa para colocar policiais nas ruas no ano que vem, pois é ano eleitoral…

Essa cobrança da imprensa nesse momento não é por acaso. O governo precisa iniciar uma resposta, afinal ano que vem é o ANO DA ESPERANÇA!!

No próximo ano surgirão os salvadores da pátria para resolver nossos problemas…

A resposta rápida a cobrança da imprensa só tem um significado: FALTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO!

 Três mil PMs acompanham lançamento de pacote que aumentará efetivo nas ruas 

Em resposta a criminalidade que vem se tornando cada vez mais comum no Distrito Federal, o Governo do Distrito Federal (GDF) anunciou um pacote de medidas para combater a violência. A assinatura dos atos – que autorizará o aumento do efetivo de policiais militares nas ruas – acontece na manhã desta terça-feira (31/03). Cerca de 3 mil PM´s já ocupam o Centro de Convenções Ulysses Guimarães para assistir o lançamento do projeto.

Na prática, o pacote representará cerca de 1,8 mil policiais — entre civis e militares — a mais em ação. O governo pretende convocar 400 militares da reserva para trabalhar nos cerca de 54 postos de segurança comunitária do DF. Estagiários – entre 18 e 24 anos – também serão contratados imediatamente para tarefas burocráticas, liberando assim pelo menos 800 policiais para o policiamento.

O aumento de pessoal ocorrerá de duas maneiras: na nomeação de concursados e no remanejamento. Nesta segunda-feira (30/03), 140 agentes aprovados no último concurso público da Polícia Civil tomaram posse. O governo também vai nomear 450 técnicos penitenciários. Com isso, 288 policiais civis que atuam como carcereiros voltarão às delegacias.
Onda de crimes
As medidas foram anunciadas após uma onda de violência no Distrito Federal. No último mês, bandidos promoveram uma arrastão no Plano Piloto e Sudoeste, uma mulher foi estuprada quando chegava para trabalhar e vários assaltos ocorreram nas imediações das escolas, como noticiou o Correio no último domingo.

Fonte: http://www.correiobraziliense.com.br/html/sessao_13/2009/03/31/noticia_interna,id_sessao=13&id_noticia=94163/noticia_interna.shtml?

Arruda anuncia medidas para aumentar o efetivo da PM
Uma das principais reclamações dos moradores do Recanto das Emas é a falta de segurança. E na manhã de hoje, o governador Arruda já anunciou medidas para aumentar o efetivo da Polícia Militar.
A dona de uma farmácia, Antônia Lima dos Santos, reclama da falta de policiamento no Recanto das Emas. Ela conta que já fez várias reclamações na Administração Regional, mas que nada adiantou.

“Reclamei por um posto policial. Já sofri vários assaltos. Em um deles, considero até um arrastão, porque levaram os meus medicamentos quase tudo”, desabafa.

O vendedor Arlos Romeiro diz que os assaltos são frequentes na cidade. “Já fui assaltados duas vezes. Em uma das vezes, foi quando saia da faculdade. Dois rapazes, de quase 16 anos, me abordaram, levando R$ 50 e um celular”, afirma.

A dona de casa Eliete Amaral conta que já viu vários assaltos em frente de sua casa. “Em frente da minha casa ocorrem assaltos em pleno meio-dia. As pessoas saem para buscar as crianças nas escolas, quando voltam são abordas. Não tem horário”.

O responsável pelo policiamento no Recanto das Emas, major Laércio de Oliveira, comandante do 18º Batalhão da Polícia Militar, afirma que os patrulhamentos na cidade são realizados diuturnamente. “São efetuadas abordagens em todas as pessoas suspeitas. Mas o grande problema que temos é a reincidência. Nós efetuamos as prisões, mas em pouco tempo percebemos que eles estão de volta para o mesmo local, cometendo os mesmos crimes. Então, a polícia tem feito a sua parte. Mas a reincidência tem sido o grande problema. O efetivo é um problema geral. Mas em razão da mudança feita nas escalas, estamos conseguindo colocar mais viaturas nas ruas”, explica o major.

E o governador José Roberto Arruda anunciou na manhã desta terça-feira, dia 31, medidas para aumentar o efetivo da Polícia Militar. Entre elas, está a decisão de proibir emprestar policial militar para outros órgãos.

Também foi anunciado que vai ter concurso público para contratação de 1.500 policiais. E os policiais vão receber R$ 200 por oito horas de trabalho, nos dias de folga. O governador Arruda deu prazo de três meses para que todas as medidas sejam cumpridas.

Lívia Veiga
Fonte: http://dftv.globo.com/Jornalismo/DFTV/0,,MUL1066327-10039,00-ARRUDA+ANUNCIA+MEDIDAS+PARA+AUMENTAR+O+EFETIVO+DA+PM.html

 

Governador lança medidas para aumento de efetivo

31/3/2009 19:26:00

Geovani (texto)
Róger Monsan (fotos)
da Comunicação Social

Na manhã de hoje, dia 31 de março, o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, divulgou as ações do GDF que aumentarão o número de policiais nas ruas do DF. Em um evento realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, Arruda anunciou uma série de medidas para um efetivo de cerca de quatro mil policiais militares.

O evento contou com a presença do Comandante Geral, Coronel Cerqueira, do Chefe do Estado Maior, Coronel Figueiredo, além de todos os comandantes, chefes e diretores da Polícia Militar do Distrito Federal. 

O Governador disse que convocará 796 policiais militares. Os policiais que aceitarem retornar a ativa receberão o auxílio alimentação e uma gratificação de R$ 800,00. Esses policiais trabalharão nos Postos Comunitários de Segurança.

Outra medida que visa aumentar o efetivo é o processo seletivo para civis. Serão contratados 800 novos servidores para serem utilizados exclusivamente no serviço administrativo. Eles substituirão policiais militares que atualmente desenvolvem essas atividades.

O Governador Arruda disse também que os policiais militares cedidos a outros órgãos retornarão à Corporação, sendo vedada a cessão a qualquer outro órgão a partir deste momento.

 

Mudanças no Serviço Voluntário Gratificado

O serviço voluntário também sofrerá modificações. A partir de agora, as cotas serão aumentadas de 10 mil para 20 mil por mês. Não haverá limite de serviços para os policiais, ou seja, quem desejar trabalhar além das quatro cotas anteriormente previstas, poderá fazê-lo. Além das cotas, a gratificação passará por alterações, passando dos atuais 130 Reais para 200 Reais, segundo o Governador.

Plano de Cargos e Salários

Um dos grandes anseios da tropa, o Plano de Cargos e Salários, também foi assunto na reunião. O Governador informou que enviará o PCS no dia 21 de abril, para apreciação do Presidente da República, salientando que a proposta de criação da gratificação por risco de morte constará no bojo do próprio projeto, que será solicitado ao Presidente da República o encaminhamento por meio de medida provisória para que se dê maior celeridade ao trâmite.

Lotes

Outro destaque da pauta foi a entrega dos lotes. O Chefe do Executivo Local falou que os becos de Taguatinga, Ceilândia e Planaltina serão disponibilizados, referindo-se ainda ao novo setor habitacional: o Mangueiral. Esse setor será localizado nas proximidades do Jardim Botânico e condomínios adjacentes. No local serão construídos casas e apartamentos, além da infra-estrutura já consolidada através de parceria público-privada, com previsão de entrega para o início do próximo ano.

Concurso para soldados

 Um dos últimos assuntos abordados pelo Governador foi o concurso público para soldados. Segundo ele, serão oferecidas 750 vagas que poderão chegar a 1.500 por intermédio de processo seletivo. Arruda não informou sobre o nível de escolaridade a ser exigido no concurso.

Fonte: http://www.pmdf.df.gov.br/?pag=noticia&txtCodigo=2526

Combate à criminalidade terá mil policiais a mais nas ruas do Distrito Federal

31/03/2009 – 17:14:41

O combate à criminalidade no Distrito Federal ganhará o reforço de mais mil policiais militares nos próximos 30 dias. Para viabilizar o aumento do efetivo nas ruas, o governo lançou mão de uma série de medidas, anunciadas nesta terça-feira (31) pelo governador José Roberto Arruda.  A convocação de policiais inativos, a retirada de homens do serviço administrativo, o retorno dos militares cedidos a outros órgãos e o aumento das cotas e da remuneração de serviço voluntário figuram entre as providências mais importantes adotadas hoje.

 
“Brasília teve um crescimento desordenado nos últimos dez anos e isso está trazendo uma violência que não tínhamos. É preciso reagir a isso”, avaliou Arruda. “Eu quero aumentar o policiamento nas ruas da cidade e, juntamente com as operações especiais desencadeadas em conjunto pelas polícias Civil e Militar, vamos vencer a guerra contra a violência”, acrescentou.
 
Na próxima semana serão entregues 140 novas viaturas à Polícia Militar. Os veículos serão equipados com computadores e câmeras de vídeo, que registram as imagens nos locais de ronda. “É uma versão motorizada e atualizada tecnologicamente da dupla Cosme e Damião”, explicou Arruda.
 
O governador também anunciou o encaminhamento do Plano de Cargos e Salários (PCS) dos policiais e bombeiros militares ao presidente Lula, no próximo dia 21, já com o adicional de risco no exercício da profissão incorporado aos vencimentos. “É justo que o policial receba abono pelo risco que corre. É como se fosse o adicional de periculosidade a que outras categorias têm direito”, explicou o governador. O plano de carreira dos militares também prevê a exigência de formação superior para ingresso nas corporações. O concurso anunciado hoje, no entanto, será aberto a candidatos com nível médio de instrução, conforme exigência do Tribunal de Contas.
 
A maior parte da nova tropa que ganhará as ruas deve vir de militares da reserva remunerada, que hoje conta com cerca de 800 policiais com menos de cinco anos fora das ruas e dos quartéis. “Com as vantagens que estamos oferecendo, que inclui um abono significativo, esperamos que pelos menos 400 homens aceitem esse desafio”, acredita o governador. O novo batalhão reforçará o efetivo dos postos comunitários de segurança.
 
O aumento, de 10 para 20 mil, no total mensal de cotas de serviços voluntários, uma espécie de hora extra, também deverá contribuir para o crescimento da força policial nas ruas. Esse expediente permite ao policial prestar serviços voluntários em seu período de folga. Cada jornada suplementar renderá R$ 200 ao militar, que hoje recebe R$ 130. O retorno de policiais militares cedidos a órgãos dos GDF, inclusive na Secretaria de Segurança e no Comando Geral da PM, também ampliará a presença de policiais nas ruas da cidade, segundo o coronel Antônio Cerqueira, comandante geral da corporação.
 
Arruda também autorizou a contratação de 800 civis, com remuneração de dois salários mínimos, para substituir os militares na realização de tarefas administrativas. Os candidatos a uma das vagas devem ter entre 18 e 24 anos de idade e não ter prestado o serviço militar obrigatório, o que ocorrerá a partir de seu ingresso na PM. Os contratos serão de um ano de duração com possibilidade de renovação por mais 12 meses. 

2 Comentários

Arquivado em Aderivaldo

Retorno de policiais inativos!!

A PMDF está passando por uma verdadeira revolução no governo atual. Mudança de escalas, sem aumento, sem plano de carreira, sem lote, sem nível superior…

Quinta-feira seria publicado o edital no DODF para o concurso de voluntários (jovens reservistas, primeiro emprego), mas algo mudou…

Não será mais dada a oportunidade para o primeiro, mas sim para o último emprego. É possível que na próxima semana tenhamos novidades…

Não ficarei surpreso se convocarem policiais da inatividade  para retornarem para a polícia…Eles ganharão a tão cobiçada  ETAPA ALIMENTAÇÃO, no valor de R$ 450, o0

Analisando de forma bem racional, seria justo o policial inativo receber um novo salário e não somente a diferença da atividade pra inatividade!

O salário da inatividade é um direito adquirido pelo tempo de serviço trabalhado?

Ele estará prestando um novo tipo de serviço dentro da corporação?

Vale a pena retornar por esse valor?

Vale a pena correr o “risco” de responder administrativamente por esse valor?

Vale a pena responder judicialmente por esse valor?

São muitas as perguntas….

Terça-feira todos os policiais escalados estarão no CENTRO DE CONVENÇÕES às 10h para ouvir o que o Governador tem a dizer…

É preciso ficarmos atentos para isso!! O policial que tem condição para retornar da inatividade, também tem condições para se aposentar aos 65 anos de idade…

Isso pode ser um TIRO NO PÉ…

4 Comentários

Arquivado em Aderivaldo

Quem quer ser um milionário?

Ontem resolvi deixar de lado meus problemas e aliviar minhas tensões. Fui assistir a um filme muito interessante: Quem quer ser um milionário?

Já que sempre falo em mudança cultural da tropa nesse blog, nada mais coerente do que compartilhar algumas experiências nessa área.

Tenho percebido a importância do lazer e da cultura em nosso meio. É importante para o policial tirar um tempo para descansar e relaxar, seja sozinho ou com a família. Ir ao teatro, cinema, igreja, viajar…

De volta a filme, ele conta a história de Jamal Malik, jovem de 18 anos, que vem de uma família das favelas de Mumbaí, Ìndia, e está no dia mais importante de sua vida. Jamal está apenas uma pergunta de conquistar o prêmio de 20 milhões de rúpias na versão local do programa de televisão: Quem quer ser um milionário?”.

Durante o filme percebe-se muitas coisas e se pode tirar algumas lições. A primeira delas é que nunca devemos desistir de nossos sonhos, mas tem muito mais…

Nesse filme podemos perceber claramente que a polícia surgiu para defender os ricos e não os pobres, o preconceito é claro ao chamá-lo de “garoto do chá” ou favelado. Percebe-se os métodos de tortura comuns nos países subdesenvolvidos (ou em desenvolvimento)…

Ele mostra como uma criança se torna um bandido e como a vida “ensina”.

Mostra também que somos resultados de nossas experiências, mas principalmente da forma que lidamos com elas…

É um filme que vale a pena ser visto, pois deixa um grande lição: o que tiver que acontecer em nossas vidas irá acontecer, mas o mais importante é NÃO DESISTIR!

Isso pra mim é ser milionário: SER CHEIO DE FORÇA DE VONTADE E NUNCA SE DEIXAR ABATER!!

Deixe um comentário

Arquivado em Aderivaldo

Lobby contra nível superior é maior que a PMDF!

Minha última postagem ocorreu hoje por volta de meia noite, antes da edição do Correio Braziliense entrar em circulação.

Fui pego de surpresa ao ver o lobby declarado do referido jornal, em suas entre linhas, para que o concurso seja mantido como nível médio.

O título da matéria foi bem sugestivo:

“TCDF decide que a seleção da Polícia Militar não pode estar restrita a candidatos com curso superior. O salário inicial é de R$ 4 mil.”

Logo abaixo, em letras GARRAFAIS surge outra chamada:

“SEM EXIGÊNCIA DE DIPLOMA”

É impressionante como o Conselheiro Renato Rainha se dedicou a defender os “sem diploma”. Creio que ele ainda esteja defendendo sua categoria. É mais fácil equiparar o salário da Polícia Civil com a Polícia Federal sem a sombra da PM, que com as mesmas qualificações da civil poderá exigir o mesmo!

“Por unamidade, os conselheiros do Tribunal, em sessão na tarde de ontem, seguiram o voto do relator do processo, Renato Rainha. Este acatou o parecer técnico da 4ª Inspetoria de Controle Externo e da representação do Ministério Público junto ao TCDF. Os pareceres apontam para a inconstitucionalidade do decreto do governador José Roberto Arruda que alterou o grau de escolaridade para a seleção, elevando de nível médio para superior.” (Correio Braziliense, 14:2009)

É impressionante o lobby realizado por donos de cursinhos espalhados pelo DF. Foi um grande prejuízo para eles, pois somente tivemos aproximadamente 13 mil inscritos em um concurso que normalmente tinha em média 100 mil candidatos.

O TCDF não tem poder para tanto! Ele recomenda, não decide pela PMDF!

A decisão é de que o decreto é inconstitucional, então, façamos o certo, mesmo que isso demore!

Muita gente está insatisfeita com essa mudança! O Cespe também não deve estar contente somente com esses candidatos,  afinal, oitenta reais vezes treze mil e quinhentos candidatos (R$ 80,00 x 13.500) dá aproximadamente UM MILHÃO E OITENTA MIL REAIS (R$ 1.080.000,00) , sendo que estavam acostumados arrecadar nesse concurso uma média de OITO MILHÕES DE REAIS (R$ 8.000.000,00)!

Fica a dúvida nesse  momento: QUEM GANHA E QUEM PERDE COM O NIVEL SUPERIOR NA PMDF?

Espero que a matéria do Correio na seja matéria paga pelos cursinhos,  pois é estranho vê- no caderno de ECONOMIA,  Pág. 14!!

Defender o nível superior na PMDF é defender a sociedade e a melhoria na SEGURANÇA PÚBLICA!!

Queremos dignidade e isso passa pelo reconhecimento de nossa qualificação profissional!!

11 Comentários

Arquivado em reestruturação das polícias

Nível superior na PMDF, a luta continua, companheiro!

A politicagem continua…

Com essa decisão possivelmente a prova será adiada, a não ser que os Deputados, eleitos pela categoria, comprem a “briga” e articulem rápido com o governo local para solucionar o problema. Caso seja necessário uma articulação com o governo federal, que o Dep. Patrício use seu prestigio junto a ele para agilizar o processo…

Se todos se unirem em prol da melhoria da polícia, talvez, a união deixe de fazer açúcar e passe a fazer a FORÇA!

 

POLÍCIA MILITAR DO DF TERÁ QUE PROMOVER MEDIDAS NECESSÁRIAS AO EXATO CUMPRIMENTO DA LEI Imprimir E-mail
19 de março de 2009
O Tribunal de Contas do Distrito Federal decidiu negar validade aos atos praticados com fundamento no art.1º, caput, do Decreto 28.682, no § 1º do art. 1º do Decreto n.º 28.699, de 21 de janeiro de 2008, e no art. 3º, caput, do Decreto nº 29946, de 14 de janeiro de 2009. Para o TCDF eles extrapolam o poder regulamentar conferido ao Chefe do Poder Executivo local seja por contrariarem o inciso XIV do art. 21 e o inciso I do art. 37 da Constituição Federal.
O TCDF está determinando à Procuradoria Geral do Distrito Federal que, no prazo de 60 dias, a contar da notificação, encaminhe justificativas para o estabelecimento de exigência de conclusão de curso superior de graduação em Direito para o Curso de Formação de Oficiais, estabelecida pelo art. 2º, caput, do Decreto n.º 29.946, de 14 de janeiro de 2009.
A Polícia Militar do Distrito Federal terá que promover as medidas necessárias ao exato cumprimento da lei, no que se refere à exigência, prevista no Edital Normativo nº 01, publicado no DODF de 07.01.2009, de diploma de conclusão de ensino superior, reconhecido pelo Governo Federal, para matrícula no Curso de Formação de Soldado.
Para exigir nível superior de escolaridade para o ingresso no quadro de praças da Polícia Militar do Distrito Federal deverá valer-se de lei específica, de iniciativa de Sua Excelência, o Sr. Governador do Distrito Federal.
PROCESSO Nº11053/08 DECISÃO Nº 1510/2009

Fonte: http//www.tc.df.gov.br//

3 Comentários

Arquivado em Diversa

Regulamentação de escalas na PMDF!

Após merecidas férias no Nordeste brasileiro estou de volta a ativa aqui no blog…

Ontem foi publicada a Portaria PMDF nº 651 de 17 de Março de 2009, que estabelece novo horário de expediente administrativo na corporação e o regime de escala do serviço operacional, e dá outras providências.

Em seu artigo 1º a portaria estabalece que o horário para o expediente administrativo da Corporação será das 13h as 19h, de segunda a sexta-feira,  nos dias úteis. Até aqui nenhuma novidade. Ela surge no parágrafo único que diz: “o efetivo do expediente administrativo poderá ser utilizado 01 (uma) vez por semana, por um período de 06 (seis) horas,  no serviço operacional e 02 (duas) horas para treinamento físico.

Sobre as escalas de serviço ordinário operacional da Corporação a portaria manda aplicar o regime de 01 (uma) hora trabalhada por 03 (três) horas de folga, a critério do Comandante de cada UPM.

A partir de agora na PMDF teremos as seguintes escalas:

 – 06 (seis) horas por 18 (dezoito) horas;

– 08 (oito) horas por 24 (vinte e quatro) horas;

–  12 (doze) horas por 36 (trinta e seis) horas;

– 24 (vinte e quatro) horas por 72 (setenta e duas) horas.

Essa situação irá interferir também na aplicação do serviço VOLUNTÁRIO.

Art. 3º – “Toda UPM deverá atentar para o preconizado nos números 10 e 11 do item IV da Instrução Normativa (provisória) PMDF nº 010 de 06 de julho de 2004, quando da captação/emprego do Serviço Voluntário Gratificado.”

Segundo a portaria os comandantes terão prazo de 30 (trinta) dias para remeter ao Comando de Policiamento, as escalas que serão adotadas na UPM, ao final de 90 (noventa) dias será feita uma avaliação para consolidação ou novas modificações, sendo aceito no período sugestões para o aperfeiçoamento das escalas de serviço operacional no ãmbito da corporação.

É importante relatar que a tropa está preocupada e já pensa na Praça do relógio ou em Licença Especial, já que até os 23 mil já terão direito em poucos meses….

Muitos comandantes já afirmaram em formaturas que aplicarão a escala 12×36 para os serviços de viatura diurno e noturno, sem folgão, pois a portaria não é clara quanto isso. Segundo alguns colegas, em algumas unidades, os postos funcionarão na escala 24×72.

A união muitas vezes faz a FORÇA, mas normalmente faz AÇÚCAR!

Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos….

10 Comentários

Arquivado em Diversa

Foco da polícia…

Excelente os comentários feitos pelo Danillo Ferreira do Abordagem policial sobre o foco das polícias…

“Não defendo o desapego às corporações policiais, ao contrário: devemos fazer com que elas se adequem ao ambiente em que estão inseridas, sob pena de morrerem caducas. Tampouco quero dizer que os policiais não devem ser recompensados pelo complexo serviço que prestam, já que todos concordamos com a defasagem salarial da categoria. Por fim, não prego a indisciplina nem a insubordinação, mas o relacionamento profissional onde todos possam se posicionar crítica e abertamente”.

“O foco das polícias, e dos policiais, individualmente, deve ser a excelência do serviço prestado à sociedade, de modo que as corporações se adequem e não “resistam” a ela. Os policiais devem ser motivados para que atuem bem em seu mister, e os comandantes (dentre eles os chefes do Poder Executivo), estarão corretos somente se estiverem despendendo seus esforços para servir nosso cliente: o cidadão.”
 

 

Ele foi muito feliz ao discorrer sobre a necessidade de melhorarmos nosso relacionamento profissional de forma que venhamos a nos expressar dentro das instituições…

Ao visitar os postos comunitários de segurança percebo que a grande queixa está ligada ao distanciamento dos comandantes em relação aos comandados e esse distanciamento está justamente no fato do policial não poder “falar a verdade” ou “mostrar o que está errado”…

Nossos comandantes deixaram de focar o público interno, pensando somente no externo…

Focar no público interno significa voltar o foco para o:

1) Psicológico;

2) Físico;

3) Intelectual;

4) Incentivo

Não podemos esquecer que focar o psicológico está diretamente ligado ao ouvir…

Afinal, o que um psicólogo faz?

Ele ouve mais do que fala, fazendo-nos refletir sobre nossos próprios erros…

Talvez esse seja o caminho!

Achei a frase de um sargento, que trabalha em posto comunitário, muito interessante:

“Uma empresa hoje incentiva o humano. Aqui (PMDF) não existe incentivo. Todo mundo tá saindo da rua, mas ninguém é ouvido!”

Esse é o caminho, meu amigo Danillo, discutir nossos problemas antes que eles se tornam maior ainda…

1 comentário

Arquivado em policiamento inteligente

Polêmica sobre o nível superior na PMDF!

Cada dia que passa me impressiono mais com o senso comum de nossa sociedade. Percebe-se claramente o desconhecimento da sociedade sobre a polícia que tem, mas também como é fácil manipulá-la!

Não se valoriz a nossa polícia, mas se exige que ela preste um bom serviço. Isso é totalmente incoerente, difícil de compreendermos.

Só valorizamos as nossas polícias (militar e civil) quando vamos aos outros estados. Somente assim compreendemos o quanto o nível de formação de nossa tropa é elevado, o que proporciona uma melhor prestação de serviço a comunidade.

Nos últimos dez anos melhoramos muito, mas ainda estamos longe do ideal. Se não fosse a minha percepção de que a maioria de nós não entendemos nada de segurança pública, ficaria revoltado com essa afirmação:

“Acho justo e sou favoravel que o concurso da PMDF seja realizada a nível médio, pois em outros estados é assim. E não é o nivel de escolaridade da pessoa que faz a moralidade de uma instituição, e sim a própria pessoa”.

Essa afirmação foi retirada do blog de um jornal daqui da cidade e demonstra muito sobre o nível de entendimento de nossa sociedade sobre a polícia e sobre a política, pois ambas estão interligadas.

Fiquei imaginando nossa polícia igual a do Rio de Janeiro (sem desmerecê-la) e de outros estados da Federação que não respeitam seus policiais. Quando se fala em nível superior na polícia estamos indo muito além de uma simples exigência. Estamos falando de valorização profissional!

Com certeza alguns dos cidadãos que defendem o ATRASO de volta a polícia não deve se lembrar de nossa polícia há vinte anos ou até mesmo dez anos atrás.

Com certeza não se lembram quando os policiais civis e militares eram pegos no laço!

Os componentes daquela guarda, criada às pressas, ou eram analfabetos ou semi-analfabetos e, naturalmente, dado o seu caráter improvisado, sem treinamento específico, não estavam preparados para exercer adequadamente a função policial. (…) O processo de incorporação na GP era relativamente simples, pois não exigia nenhum conhecimento prévio. Era admitido na corporação quem mostrasse coragem e espírito aventureiro. De preferência, os homens mais altos, com estatura média de 1,70 m, ou quem já tivesse servido às Forças Armadas. Era interessante também para a GP os que fossem solteiros ou os que não possuíssem família em Brasília, pois o trabalho exigia dedicação exclusiva. “Melhor ainda, para os que sabiam jogar bola, porque o Cel. Muzzi pretendia formar um time de futebol”. (História da Polícia Civil de Brasília, 1988:21)

 

Não deve ter idéia que a formação policial sempre esteve focada no uso da força, pois sempre priorizaram os atributos físicos aos intelectuais. Os homens escolhidos para exercerem a função policial se assemelhavam àqueles escolhidos para as Forças Armadas, em sua maioria, eram pouco instruídos, fortes e de alta estatura. A pouca instrução é importante para evitar questionamentos no momento da execução da ordem. Afinal, desde o surgimento do militarismo os soldados são elementos de execução, devendo, portanto não questionar nenhuma ordem que porventura lhes fossem dada.

Só que isso era em uma época em que os direitos do cidadão não eram respeitados, pois vivíamos em uma ditadura!

Hoje vinte anos após a Constituição cidadão o foco mudou!

Creio que nos outros Estados da Federação os policiais estão muito satisfeitos com seus salários, os gestores de segurança pública estão satisfeitos com suas verbas, nenhum policial está estudando para sair da corporação e todos querem servir nessas corporações…

Todos com nível médio querem entrar na polícia do Rio de Janeiro para arriscar suas vidas por menos de mil reais e servir ao seu estado, pois servindo ao estado estão servindo ao país!

Melhor ainda todos com nível médio irão servir no Nordeste onde os salários são ainda mais baixos e a estrutura ainda pior…

Vamos deixar a hipocrisia de lado, pois o Distrito Federal é um local onde todos se julgam autoridade, onde grande parte da população possui nível superior. Um local onde a maioria dos concursos nas diversas áreas exigem nível superior. Um exemplo é na própria estrutura de segurança pública, onde a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros já estão mais de uma década atrasados!

O que nos parece é que nessa cidade estão querendo uma polícia sem formação e conhecimento em outras áreas, para facilitar as “carteiradas”, que estão se tornando cada vez mais difíceis, com a qualificação dos atuais policiais (a maioria já possuí nível superior – só iremos formalizar isso por meio da normatização), pois ninguém está acima da lei…

Quem defende uma polícia despreparada são aqueles que não se prepararam para recebê-la!

Volto a dizer:

A polícia precisa mudar!

A polícia vai mudar!

Façam a mudança, antes que nós a façamos!

Brasília é só o começo!

7 Comentários

Arquivado em Diversa