Violência se espalha pelo Distrito Federal

Cada vez mais frequentes, assassinatos, latrocínios, agressões e ameaças levam medo aos moradores da capital. Em Taguatinga, casas viram fortalezas e, mesmo assim, não intimidam a ação de bandidos.

Maria da Conceição gastou R$ 5 mil para deixar a residência, na QNL 13 de Taguatinga, mais segura. Mesmo assim, sofreu uma tentativa de assalto

 Assustados com a crescente violência, moradores do Plano Piloto mudam hábitos e adotam estratégias de prevenção à criminalidade. Mas se a falta de policiamento amedronta quem mora em Brasília, apavora ainda mais aqueles que vivem nas cidades mais afastadas do centro. Com a Operação Tartaruga da Polícia Militar iniciada, as equipes de patrulhamentos se tornaram escassas nas ruas de Taguatinga, Ceilândia, Samambaia e outras regiões administrativas. …

 Na QNL 13 de Taguatinga, os constantes assaltos mudaram a paisagem da quadra. Cansados de esperar uma ação do Estado, os moradores transformam as casas em fortalezas. A pensionista Maria da Conceição Holanda, 62 anos, teve a residência invadida duas vezes por bandidos. No ano passado, ela investiu na segurança do imóvel. De uma só vez, ela mandou instalar 60m de cerca elétrica, lanças perfurantes, alarme e arame semelhante ao usado por exércitos em zonas de conflito e por presídios a fim de evitar a fuga de detentos. Estima um gasto de cerca R$ 5 mil.

 Mesmo com todo esse aparato, ladrões não se intimidaram e tentaram, no início do ano, entrar na casa dela novamente. “Eles cortaram a cerca elétrica, mas se assustaram com o alarme e correram. Ou seja, nem tudo isso garante a tranquilidade da minha família”, lamentou.

 Sem esperanças de que a sensação de tranquilidade retorne à quadra, o aposentado José Vieira Diniz, 63 anos, morador do Conjunto G da QNL, preferiu vender a casa. “Já tirei até a placa porque o negócio está fechado. É algo que realmente vai minando a gente, deixando desiludido”, lamentou.

 Também em Taguatinga, nove pessoas da mesma família, entre elas, duas crianças, de 2 e 7 anos, foram feitas reféns entre as 21h e as 22h10 da última quarta-feira. Três bandidos armados renderam um dos moradores no momento em que ele chegava em casa. As vítimas acabaram amarradas e trancadas no banheiro. A ação demorou pouco mais de uma hora. Os assaltantes levaram o carro e vários eletrodomésticos e eletrônicos, além de relógios e celulares.

O caso é investigado pela 17ª DP (Taguatinga Norte). Segundo o delegado Robert Menezes, os agentes estão à procura de pistas que levem aos autores. Se for preso, o trio responderá por roubo. Testemunhas contaram que os bandidos usavam boné e casaco na hora da ação. Todos estavam armados. Existe a suspeita da participação de um adolescente. Apesar de os ladrões terem demorado mais de uma hora na residência, os vizinhos não perceberam a movimentação diferente. A própria vítima foi quem comunicou o crime à delegacia após conseguir se soltar.

 O Correio tentou falar com o comandante de Policiamento da PM, responsável por gerenciar a distribuição da tropa nas cidades, mas o cargo está vago. No momento, os postos de chefia metropolitanos passam por reformulações e, praticamente, todos os titulares são substituídos.

 Memória

2014

14 de janeiro

Um morador de rua foi morto com cinco tiros em Ceilândia. Vagner Figueira Rodrigues, 34 anos, estava na QNM01, onde recebeu os disparos. Testemunhas atribuíram o crime a um traficante da região, e a polícia suspeita de acerto de contas por dívida de drogas.

 12 de janeiro

Um homem levou sete tiros na Quadra 102 de São Sebastião. Ele foi encaminhado ao hospital em estado grave. O suspeito passou em uma moto e efetuou os disparos contra a vítima, que seria de uma gangue rival. Um segundo homem foi atingido com um tiro no dedo do pé.

 10 de janeiro

Uma jovem de 21 anos foi assassinada com 47 facadas por dois adolescentes no Núcleo Bandeirante. Disputa por drogas pode ter motivado a execução. O crime aconteceu na Rua 10 da Metropolitana (foto). Os acusados têm 16 e 17 anos.

 8 de janeiro

Pelo menos quatro pessoas foram atingidas por disparos durante a noite em Ceilândia. Duas vítimas eram um pai , de 36 anos, e o filho, de 17, que caminhavam na QNP 23, no Condomínio Sol Nascente. Os atiradores passaram de carro no local.

 7 de janeiro

Uma adolescente de 14 anos foi baleada na cabeça em Planaltina. A menina recebeu atendimento no Hospital Regional de Planaltina. O suspeito do crime, um adolescente de 17 anos, acabou apreendido. A polícia não divulgou o motivo do crime.

 3 de janeiro

Passageiros de um carro roubado trocaram tiros com policiais militares na Chácara 165 do Condomínio Sol Nascente, em Ceilândia. Quatro pessoas estavam no veículo. Duas fugiram, uma foi presa e uma adolescente de 16 anos ficou ferida.

 2013

31 de dezembro

Uma jovem de 18 anos acabou morta por dois homens na Estância Mestre D’Armas, em Planaltina. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi executada com cinco tiros. Antes do homicídio, ela foi amordaçada, vendada e amarrada pelos suspeitos. Os acusados foram presos 10 dias depois. Comerciante leva tiro no nariz.

Fonte: http://www.edsonsombra.com.br/post/violencia-se-espalha-pelo-distrito-federal
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em reestruturação das polícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s