O objetivo da segurança pública é melhorar a qualidade de vida da população

Quando falamos em Policiamento Comunitário no mundo é consenso entre os doutrinadores que trata-se de uma “filosofia” e uma “estratégia organizacional” onde a população e a polícia, em conjunto  buscam identificar, priorizar e resolver os problemas contemporâneos que envolvem crime e criminosos, além das “incivilidades” que muitas vezes não configuram crime, mas que trazem vários transtornos para as comunidades locais.

Resumo do Policiamento Inteligente

Durante minha estadia na Assessoria Especial da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do DF,  percebi que uma das grandes dificuldades nesta “estratégia organizacional” é a “priorização” dos crimes, fora a dificuldade de alocação do policiamento nas áreas “quentes” verificadas após a construção das manchas criminais. A quebra de braços entre os órgãos governamentais impede que as políticas públicas avancem, além é claro, da falta de autonomia na secretarias.

Já discutimos aqui que secretário de segurança não manda, nunca mandou e nunca mandará nas polícias. Nosso modelo de gestão da segurança pública, no Brasil como um todo, é fictício, puro “teatro político”, ou seja, uns fingem que mandam e outros fingem que estão obedecendo. No final, quem paga o preço da incompetência estatal é a sociedade.

A participação das comunidades é meramente figurativa nos Conselhos Comunitários de Segurança, muitas vezes utilizados apenas como palanques políticos, em tempos de eleição, como já ocorreu, os conselheiros neste período não passam de “cabos eleitorais” de figuras ligadas a segurança pública.

Voltemos ao policiamento comunitário, poucos compreendem a importância desta estratégia progressista de interação com a comunidade, já que as polícias sempre se viram como no passado, ou seja, como seres acima dos “pobres paisanos” ou simplesmente “meros mortais”.

Falar em policiamento comunitário é falar em identificação, priorização e resolução de problemas voltados para os diversos crimes, uso de drogas, medo do crime (fato que as polícias até hoje não se atentam), desordens físicas e morais (incivilidades) e a própria decadência do local, lembram-se da Teoria das janelas quebradas? Aquela em que “a sensação de abandono tende a aumentar o abandono”.

Precisamos compreender que o objetivo do policiamento comunitário é “melhorar a qualidade de vida da população”. Todas as vezes que ouço falar em “qualidade de vida” vem a minha mente a Pirâmide de Maslow. Os gestores precisam compreender como cada estratégia deve se adequar as necessidades primárias e secundarias desta Pirâmide. Compreendendo onde a maioria dos moradores encontram-se nela facilita pensar em que tipo de ações podem ser introduzidas em determinado terreno.

maslow

1 comentário

Arquivado em policiamento comunitário

Uma resposta para “O objetivo da segurança pública é melhorar a qualidade de vida da população

  1. Filipi

    ótimo texto. É isso que eu sempre pensei! Nossos gestores querem chegar ao topo da pirâmide antes de construir a sua Base. Nenhuma casa sustenta sem a base.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s