Polícia Militar perde 142 policiais de seu efetivo

O Diário Oficial do DF de hoje, de nº 113 de 15 de junho de 2016, trouxe em sua publicação o afastamento definitivo das fileiras da corporação Polícia Militar 142 policiais por diversos motivos. De tempo de serviço a exclusão da corporação, o montante é preocupante. A estimativa é de que esse ano a soma de baixas chegue próxima a 1000 policiais, um dado realmente preocupante.

O que traz maior preocupação é o fato do governo não estar demonstrando nenhuma preocupação em repor o efetivo que está indo embora. As políticas para segurança pública estão estagnadas desde o governo Agnelo Queiroz (PT) que em sua campanha eleitoral já prometera 1000 policiais por ano na corporação. Saiu pela porta dos fundos e não cumpriu. O que o substituiu, se faz de morto. Brasília corre um sério risco de descambar para a violência semelhante a que só assistimos pela TV nas grandes metrópoles protagonizado pelo crime organizado.

Insatisfação e reivindicações

Coletes vencidos sem solução, Viaturas sucateadas e muitas comprovadamente impróprias para o serviço, Plano de Carreira sem rumo, Plano de saúde ineficiente e incapaz de suprir as necessidades da família policial militar e Ascensão funcional desprezada são outros motivos que tem trazido descontentamento na categoria. Recursos contingenciados pelo governo colocam em risco o planejamento e o desenvolvimento do trabalho diuturno realizado pela corporação.

Para piorar a situação, os servidores da área de segurança do Distrito Federal ficaram de fora do aumento concedidos aos servidores públicos federais porque o governador do DF não encaminhou o pedido à Casa Civil da Presidência da República.

Todas as categorias lutam e reivindicam direitos na luta, na mobilização, participando, propondo e transformando. Só a categorial policial militar quer ser diferente. Querem um Tiradentes para depois esquecê-lo?  Querem um pai para depois abandoná-lo? Um herói? Um Jesus Cristo para ser crucificado? Um Buda? O Estado só vai na pressão. Não se ganha direitos! Direitos se exige! Seja pelo sangue ou pela luta política – foi isso que aprendi na Universidade. É assim que a história da humanidade nos revela.

Este é um momento ímpar no Brasil: É chegada a hora de cobrarmos firmemente do Estado! Do Sistema! Dos governos. De uma grande mobilização por profundas reformas e Modernização do Sistema Policial de nossa Capital, quiçá, do Brasil. Lutar por uma política nacional de Segurança Pública. Qualquer coisa fora disso é simples e mero paliativo de pouca duração. O ESTADO só teme uma categoria se ela estiver unida e mobilizada. E só há uma forma disso ocorrer que é com a participação do policial nas atividades quando convocados. Participe das reuniões. Venha para as convocações. Some-se a Luta. Quando não há participação há divisão e aí só o Estado e o Sistema ganha.

Reserva-remunerada-696x314

RESERVA REMUNERADA, por contar mais de 30 anos de serviço:
DODF, nº 113 de 15 de junho de 2016, pag. 35 a 41
: Acesse AQUI

Da redação,

Fonte: Blog do Poliglota

Deixe um comentário

Arquivado em polícia militar

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s