Vigésimo oitavo posto policial destruído desde 2008 no DF

Anunciados com pompa e apresentados como a solução para o combate à criminalidade ainda no governo José Roberto Arruda, em 2007, a situação dos postos comunitários de segurança (PCSs) reflete o modo como as políticas públicas são tocadas no Brasil: joga-se fora os projetos da gestão anterior para começar outros do zero, a um alto custo para o erário. No caso dos 131 PCSs do Distrito Federal, dinheiro do contribuinte tem sido queimado. Literalmente.

Mais um Posto Comunitário de Segurança (PCS) da Polícia Militar foi incendiado por volta das 4h, desta sexta-feira (20), na Cidade Estrutural. O fogo consumiu toda a estrutura e, apesar do estrago, ninguém ficou ferido.

20160520105042

Este é o terceiro caso de posto incendiado na cidade. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o Distrito Federal conta com a criação de 131 postos. Destes, 28 foram queimados ou danificados. Um prejuízo de aproximadamente 3 milhões de reais que saíram dos cofres públicos, do bolso dos contribuintes, torrados por políticos e pelas chamas. Alguém deveria ser responsabilizado pela farra com o dinheiro público no DF.

Cada posto comunitário custou entre R$ 100 e R$ 150 mil — num total de R$ 18 milhões gastos —, mas muitos estão desativados, tomados pelo mato, entulho e longe de cumprirem o papel para o qual foram construídos: aproximar a polícia da comunidade. Há casos em que as estruturas que deveriam reforçar a segurança fazem justamente o contrário — viraram ponto de tráfico e consumo de drogas e servem de abrigo para criminosos.

Atualmente, 44 postos estão disponíveis para a administração direta e oito foram remanejados: cinco para a Administração Regional do Gama, um para a Administração Regional de São Sebastião e, dois para o Departamento de Trânsito (Detran/DF).

Em relação à desativação dos PCS, a Secretaria de Segurança explica que, no momento, ocorre uma reavaliação do desempenho operacional. Só serão mantidas algumas unidades que são consideradas estratégicas para a polícia.

A PM, segundo a secretaria , tem trabalhado com 40 postos móveis (veículos tipo Van), aumentando o alcance da ação policial com a mobilidade dos veículos, o que, de acordo com levantamento da pasta, resultou na diminuição dos índices de criminalidade desde o início do ano.

Na madrugada de sábado (19/12/2015), um dos três módulos do posto da Cidade Estrutural foi incendiado. O caso ocorreu por volta da 1h30. Um adolescente de 17 anos, apontado como autor do incêndio, tentou fugir de bicicleta, mas foi apreendido e encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

posto3-840x577

 Fonte: Com informações da redação do Jornal de Brasília e do Site Metrópoles

Deixe um comentário

Arquivado em policiamento comunitário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s