O momento é de lutar por promoção (fluidez na carreira) na reestruturação!

Hoje entrei no Blog do Tenente Poliglota, ex-candidato do DEM, e vi um texto republicado cujo título me chamou a atenção: Reestruturação: Só promoções não basta…”. Sua fala é muito interessante, apesar de altamente confusa e contraditória. Por meio de um argumento “lógico”, mas falacioso, porque utiliza-se de premissas falsas, ele tenta desconstruir a tese que não precisamos de promoção, mas sim de reajuste salarial. Já que a promoção não beneficia os inativos. Pelo jeito, tentando preparar a “cama” para a oposição nos próximos anos. Vejamos a fala dele:

“Observo que o nosso policial está preocupado com as promoções e estão se esquecendo da Lei 10.486/2002 (Lei de vencimentos) que está defasada há quase 13 anos e que ninguém toca no assunto.” (Tenente Poliglota)

A lei 10.486/2002 está defasada, mas não significa que não tivemos reajustes desde 2002 para cá, oras. Outro ponto confuso é querer trazer a “responsabilidade” para o DF, vejamos o que ele diz:

“Temos que pensar em modificar a Lei 10.486/2002 e trazer para a responsabilidade do GDF a sua regulamentação. Aí sim estaremos garantidos na reserva.” (Tenente Poliglota)

Trazer a responsabilidade para o GDF não traria outra interpretação para o Fundo Constitucional? A última frase fala muito: “Aí sim estaremos garantidos na reserva”. É fácil para um tenente da reserva defender somente reajuste salarial, já que promoção não lhe trará nenhum ganho. E aqueles que foram embora como soldado ou cabo? E aqueles que poderão ir embora como 3º SGT por irresponsabilidade da oposição insana nos últimos anos? Vamos ver o que ele pensa sobre as promoções?

“O que queremos dizer é de que nada adianta vir promoções se de fato o que realmente importa é o ganho “real” de salário, coisa que da forma que está infelizmente nunca será alcançada.” (Tenente Poliglota)

O ganho real de salários é importante. Tanto é que em 2012 fizemos um planejamento. Onde o Tenente Poliglota  não estava, que ficou definido que os próximos dois anos seriam para debater reajustes e depois a fluidez na carreira. Eu publiquei o texto no dia 26 de Fevereiro de 2012, cujo título foi: UMA REFLEXÃO SOBRE O NOSSO MOVIMENTO REIVINDICATÓRIO! Lá postei o seguinte trecho:

A diferença média em todos os postos e graduações para uma equiparação com a polícia civil é de três mil reais. Em minha opinião é com base neste valor que devemos negociar para uma equiparação, mesmo que seja até 2014, incluindo soldados e cabos, não somente  a partir de sargentos como se tem ventilado. Devemos dividir esse valor em cinco pontos principais:

1) R$ 400,00 para a etapa alimentação;

2) R$ 400, 00 para um possível auxílio transporte;

3) Antecipação do risco de morte;

4) 20% dos reajustes do Fundo Constitucional nos últimos anos;

5) Dividir o restante para a equiparação em duas parcelas: Uma no primeiro semestre de 2014 e outra no segundo semestre.

Tudo isso aprovado no orçamento para o próximo ano! A questão de colocarmos o auxílio transporte e a etapa alimentação é o fortalecimento do discurso do menor impacto na folha…

Olhando o quadro atual. Fica claro que obtivemos êxito em todas as fases. Somente não conseguimos a antecipação do Risco de morte, pois era necessário alterar lei federal. Planejamento é tudo. Neste ponto específico defendo o atual comandante geral. Se ele não tivesse tomado aquela atitude de garantir o reajuste do auxílio moradia estaríamos mais uma vez prejudicado pela “oposição insana” de alguns que somente pensam em suas candidaturas, em seu benefício próprio, e esquecem a coletividade.

Vejamos outras falas do Tenente:

“Portanto, reflitam: Hoje qual é a vantagem de ser Subtenente se o salário ainda é e continuará sendo regido por uma lei de 2002 com 13 anos de existência? Sem contar que muitos parecem estar de fato preocupados com promoções, e que no final das contas, quase nada representará, porque se já está ruim com esse salário hoje, imaginem daqui uns 5, 10 ou mais anos sem que essa Lei 10.486 sofra qualquer tipo de alteração/reajuste.” (Tenente Poliglota)

A vantagem de ser subtenente é que a maioria da Corporação irá para reserva nos próximos dez anos e que ao irmos para a reserva nosso salário “congela” na graduação que estivermos. Terminar bem é melhor que começar bem. Precisamos ir para a reserva com a maior graduação ou posto para podemos ir também com os melhores salários. Se está ruim com os salários de hoje indo para reserva com graduação menor será ainda pior, pois haverá redução salarial. O que queremos é garantir a fluidez necessária para irmos bem para a reserva. Podemos correr atrás de reajuste salarial para o inativo, mas não podemos promovê-lo na inatividade. Vejamos outra fala do Tenente:

“Concluindo, do que adianta termos a falsa ilusão de sermos promovidos se no fundo só vai aumentar o gasto com novas fardas?” (Tenente Poliglota)

Não existe falsa ilusão de sermos promovidos. Promoção é algo real. Ilógico é o argumento: “no fundo só vai aumentar o gasto com novas fardas?” O preço da farda não muda, independente da graduação ou posto. Pensamento pequeno e medíocre. Avancemos em nossa análise. Outra fala do Tenente no texto:

“Parem e pensem! Principalmente os mais modernos de hoje. Se já está ruim hoje com essa lei altamente defasada, o que dizer daqui a 20 anos quando sair Subtenente? Ou seja, o seu futuro será o mesmo do antigo de hoje, que é se matar nos SVG´s, nos bicos, e etc. Salvo melhor juízo, por causa do “EGO” em só pensar em promoções, todos estão cavando uma cova mais do que coletiva para todos que estão dentro, fora ou ainda pensam em entrar.” (Tenente Poliglota)

O último ponto deixo para que os senhores e senhoras possam analisar. Concluo o texto de hoje dizendo o seguinte: De maneira prática e objetiva queremos aumento salarial e fluidez em nossa carreira. O reajuste salarial foi garantido até 2016. Agora é hora de discutirmos promoções. São duas leis distintas. A polícia militar é o somatório de profissionais comprometidos e qualificados, por isso precisamos caminhar juntos. Nossa falta de união e de dialogo interno esta nos deixando para trás, quando comparamos nossos salários e nossas carreiras com outras categorias do DF.

Quando falamos em reestruturação de nossas carreiras, em uma visão macro, por meio de uma solução de curto prazo, dois pontos são primordiais e não podemos abrir mão:

1)   Fluxo da carreira por meio da promoção por tempo de serviço (independente de vagas); e a 2)   Redução dos prazos de migração nos níveis hierárquicos, visando a redução das diferenças salariais. A promoção é uma forma de reajuste salarial gradual. A diferença é que podemos levá-la para reserva ao “congelar” nosso salário. Temos pouco tempo para beneficiar a maioria. Nos próximos quatro anos queremos salário e promoção. Mas primeiro queremos a reestruturação.

images (6)

Aderivaldo Cardoso é Especialista em Segurança Pública e Cidadania, formado pelo Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UNB), autor do Livro Policiamento Inteligente: Uma análise dos postos comunitários de segurança pública no DF e Coordenador do Movimento Policiamento Inteligente: Busca a eficiência, eficácia e efetividade das ações policiais tendo como base os anseios da comunidade.

8 Comentários

Arquivado em reestruturação das polícias

8 Respostas para “O momento é de lutar por promoção (fluidez na carreira) na reestruturação!

  1. olho certo

    Boa noite amigo Aderivaldo , vi agora oque este cidadão de vulgo ¨POLIGLOTA” não é o tipo de pessoa que se perde tempo, pois o mesmo não conhece nada da verdadeira conjuntura das leis que regem a PMDF oque ele que mesmo e , como sempre tentar aparecer ao publico. Uma pessoa que não tem compromisso com a categoria , falar oque de uma criatura dessa.

    Curtir

  2. Raquel

    Aderivaldo, o que o Poliglota disse é que uma reestruturação com promoção sem um reajuste no plano de salários, sem uma reforma na Lei 10.486/2002, não adianta. E, convenhamos, não adianta mesmo. Já vi vários colegas dizendo que, não se importa em ser soldado para o resto da vida, se ganhasse R$ 8.000,00. Concordo, plenamente, com o Poliglota e com os colegas. A Lei 10.486 está obsoleta, tem que ser mudada. Não adianta eu ser subtenente, com um salário defasado por uma lei defasada. Qualquer reestruturação que não seja feita nesse sentido, é puro engodo. Ademais, não adianta nada também, pensarmos em carreira sem levarmos em conta a reserva, já que este será o futuro de todos nós, se Deus quiser. Você deve estar mesmo é com falta de assunto. As eleições já passaram, esqueça o Poliglota, pelo menos, pelos próximos 4 anos. Ou isso é amor enrustido, ou é muita inveja, pois, diferente de você, que teve uma votação inexpressiva, com pouco mais de 1.000 votos, ele foi o PM mais votado dentro da corporação, os que só têm voto de paisano não contam, com 5.600 votos, além de ter sido o candidato mais votado do seu partido, o DEM. Me admira você, um policial que não se diz mais policial, mas, sim, um político, vir falar de uma pessoa que vem, sim, trabalhando na defesa da corporação e que foi, sim, o candidato que obteve a maior expressividade de votos entre policiais e, de quebra, você ainda deixa claro o seu apoio àquele que nos traiu, nos golpeou duramente. Destarte, você mostra com essa sua publicação que, quem tem um pensamento pequeno e medíocre é, sim, você.

    Cada vez mais decepcionada!

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      O Poliglota já ligou e reclamou do texto. Veja fala dele:
      Poliglota:
      Eu não sei qual foi seu objetivo, eu não sei qual foi o seu objetivo… mas, infelizmente você foi infeliz na sua colocação…
      Mas não se preocupe não, eu não guardo magoa… Mas, a resposta eu vou te dar…já que você colocou em rede social.
      Aderivaldo:
      Pode dar a resposta então, Poliglota…
      Você não consegue receber uma crítica a um texto?
      Poliglota:
      Infelizmente…
      Infelizmente, Aderivaldo. Eu me decepcionei com você. Eu esperava isso de qualquer inergumeno, de você não. De você jamais! Jamais!
      Aderivaldo:
      Ta certo! Não tem capacidade aceitar crítica.
      Poliglota:
      Por várias razoes… não…crítica é uma coisa.
      Aderivaldo:
      Crítica… crítica ao texto. Não foi a você!
      Poliglota:
      De novo eu falo para você
      De novo eu falo para você: não me subestime.
      Eu falo pra você… infelizmente.
      Aderivaldo:
      Ta certo…
      Poliglota:
      De novo eu falo para você… infelizmente.
      Po, cara… um cara que eu sempre considerei, respeitei. Um cara que eu tinha um apresso grande. Você estava sendo recebido dentro da minha casa, cara! Você faz uma coisa daquela ali… Você esta pensando o quê? Que nos estamos no meio de pessoas que não veem, que enxergam as coisas?
      Po, Aderivaldo! Pera aí…
      Aderivaldo:
      É uma analise de texto, Poliglota. Analise de texto. Você não esta conseguindo entender…
      Poliglota:
      Cada um fala aquilo que quer, cada um defende as suas ideologias… isso é natural. Num estado democrático de direito nós vivemos isso. Agora não dessa maneira…
      Aderivaldo:
      Ta certo…
      Poliglota:
      Infelizmente eu não tinha nem visto, eu vi agora, porque um colega me ligou e me avisou e me alertou, esculta: “Olha lá o blog do Aderivaldo… o Aderivaldo” pegou pesado. E realmente, eu vi.
      Desculpa, Aderivaldo. Mas, infelizmente você foi infeliz na sua colocação, não gostei da sua colocação e você se tivesse alguma dúvida poderia ter ligado para mim, cara! Nós somos irmãos cara! Nós vestimos a mesma farda, Cara. Tu é praça igual eu camara…eu sou um tenente da reserva que tenho de tudo…Mas, eu fui praça…eu passei trinta anos praça, cara. Trinta anos da minha vida eu passei praça. Local que você vai chegar amanhã…se Deus quiser!
      Aderivaldo:
      Se Deus quiser e as promoções vierem.
      Poliglota:
      Não é por aí…
      Aderivaldo:
      Entendi…
      Poliglota:
      Ta bom?
      Aderivaldo:
      Ta beleza…
      Poliglota:
      Então ta bom Aderivaldo…grande abraço

      Curtir

  3. Raquel

    Ah… Só pra deixar claro, quando digo corporação, estou falando em nós, policiais militares.

    Curtir

  4. “Grande” Aderivaldo!!!

    Eu não podia deixar passar em “BRANCO” suas colocações relativo ao TENENTE POLIGLOTA, percebi uma certa animosidade em sua palavras que, ao meu ver, é um tanto destrutiva e em nada acrescenta a família policial militar.
    precisamos de UNIÃO..Você sabe o que é isso caro amigo!!! Certa publicação sua, relembro:
    https://aderivaldo23.wordpress.com/2013/12/22/o-caminho-da-corrupcao-no-df-emendas-parlamentares-e-cartas-convites/
    você havia comentado que certos políticos estavam ameaçando você, e, nessa mesma publicação eu solicitei a você os nomes desses “poderosos, secretário de Estado, um Deputado e um Operador dos bastidores” dos quais fizeram ameaças veladas contra você.

    nessa mesma postagem eu solicitei os nomes dos “bois” e você havia dito (no próprio blog – resposta): “Sabe que não funciona assim meu amigo! Querendo falar comigo te dou o nome dos bois..rs”. Eu procurei você e simples me disse: Deixa isso prá lá…rsrsrs…
    Grande Aderivaldo percebi naquela época, diante de suas palavras que quem publicar certos fatos sem dizer quem são “certos anônimos” nada contribui para levantar e punir esses “poderosos” que você decidiu simplesmente calar!!! Pelo menos percebo que o Tenente Poliglota, dá aos “bois” nomes e principalmente RECOMENDA a tropa a não cometer CRIME, TRANSGRESSÃO DE DISCIPLINA ou seja NÃO insufla A TROPA a comete qualquer delito. Ademais, não estou descrevendo que você está a fazer isso, mas suas palavras pode induzir a desunião e isso não é o meio próprio. Ai eu pergunto a ti: Porque você não fez uma ligação para o Tenente Poliglota e aparar essas arestas e assim publicaria algo construtivo? Ambos ganhariam!!!
    você ainda afirma: “O ganho real de salários é importante. Tanto é que em 2012 fizemos um planejamento. Onde o Tenente Poliglota não estava, que ficou definido que os próximos dois anos seriam para debater reajustes e depois a fluidez na carreira. Eu publiquei o texto no dia 26 de Fevereiro de 2012, cujo título foi:
    2) R$ 400, 00 para um possível auxílio transporte;
    3) Antecipação do risco de morte;
    4) 20% dos reajustes do Fundo Constitucional nos últimos anos;
    5) Dividir o restante para a equiparação em duas parcelas: Uma no primeiro semestre de 2014 e outra no segundo semestre.
    Tudo isso aprovado no orçamento para o próximo ano! A questão de colocarmos o auxílio transporte e a etapa alimentação é o fortalecimento do discurso do menor impacto na folha… (g.n)

    Ora, eu não recebi isso nos meus vencimentos!!???
    Apenas uma crítica construtiva: Nós tivemos um aumento no Auxilio alimentação, você leva isso para a reserva? e o auxílio moradia você considera que isso foi aumento? Você prefere ser promovido e”inchar” os quadros consequentemente os Cabos e Soldados ficaram assim ou receber algo que lhe dará uma vida mais digna na reserva??? Pense nisso amigo antes de atacar um amigo de farda….Por mais erro que nossos amigos possam cometer devemos amparar e construir e não dividir.

    perceba que no ano de 2002 um soldado da PMDF recebia R$ 1.819,76 (um mil oitocentos e dezenove reais e setenta e seis centavos); o soldo era de 609,96 (seiscentos e nove reais e noventa e seis centavos).
    o salário mínimo há época (2002) era de R$ 200,00 (duzentos reais) então:
    1- um soldado recebia (2002) = 9.095 (mais de nove salários mínimos);
    2- o soldo correspondia (2002) = 3,0498 (mais de três salários mínimos)
    fonte salário mínimo: http://buscajus.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2319:salario-minimo-periodo-2000-a-2014&catid=19:financas&Itemid=19
    hoje um soldado (solteiro) recebe= R$ 5977,14 (cinco mil novecentos e setenta e sete reais e quatorze centavos); o soldo = (500. quinhentos reais e uns quebrados).

    O salário mínimo atual é R$ 724,00 (setecentos e vinte e quatro reais), ou seja, um soldado hoje recebe oito salários mínimos e soldo menos de um UM SALÁRIO MÍNIMO!!!! Agora você vem criticar o Tenente Poliglota sem apresentar qualquer respaldo legal para tal e olha que o soldo é o nosso salário!!! o restante são gratificações….Me desculpe meu caro amigo, mas nós precisamos de UNIÃO…Forte abraço e estou a disposição para te ajudar como sempre disse!

    Adenilton Apóstolo Evangelista

    PS: PARA RAQUEL: Parabéns pelo seu texto, eu concordo em gênero e número contigo sobre o que o Tenente Poliglota quis dizer. São de pessoas como você que a Corporação precisa e não de anônimos

    Curtir

  5. Sargento Adalberto de Carvalho

    Companheiros;

    Vejo que Aderivaldo está certo quando diz que a reestruturação da carreira é importante. Eu particularmente não concordo que o soldado ficaria feliz se daqui a 20 anos ele continuasse na condição de soldado mesmo tendo um salário melhor.
    Acredito que devamos sim continuar lutando pela reestruturação da carreira, porém sem deixarmos de lado a necessidade do aumento salarial à todos, inclusive aos inativos.
    Acredito que devemos debater outros pontos também importantes como a necessidade de termos uma só polícia que possa fazer todo ciclo de policial. Desta forma acredito, a sociedade ganhará mais. Veja o exemplo do policial civil que atirou nos policiais militares no Riacho Fundo, se fosse uma polícia só isto não teria acontecido. Já fiz prisões em flagrante de um grupo de estelionatários e como deu DFTV e tudo, os policiais civis ficaram com ciúmes e acabaram não fazendo a prisão em flagrante. O caso deu o que falar, as corregedorias tanto da policia civil quanto da polícia militar entraram em ação, o caso foi parar na 5 vara criminal com o delegado tentando me colocar em uma prevaricação que acabei provando que ele foi quem prevaricou, juntamente com a equipe de policiais civis de plantão no dia. O caso foi a julgamento e no tribunal de justiça acabei absolvido pois a juíza chegou a conclusão que o errado foi os policiais civis e é claro o delegado com toda sua arrogância. O processo foi arquivado e a conclusão da PMDF é que a nossa guarnição cumpriu seu dever sendo o erro confirmado à polícia civil. Enfim depois deste episódio tive a certeza que devemos ter apenas uma polícia, pois os gastos com material será reduzido o trabalho será mais produtivo e a sociedade é quem ganhará mais.

    Sargento Adalberto de Carvalho

    Curtir

  6. Eduardo

    Sinceramente: Tanto esse Aderivaldo como aqueles que acompanham o seu pensamento são completamente alienados. Onde que somente promoções vão resolver nosso problema? Temos uma Lei de vencimentos defasada que vai completar 13 anos e que precisa ser modificada urgentemente porque o que nos interessa é o soldo e não promoções. Na reserva não vamos levar nada, pelo contrário, vamos perder. Eser Aderivaldo sempre foi um moita e nunca saiu do anonimato pro covardia, então vir agora querer defender Rolemberg como se fosse um militante é por demais inócuo ao nosso entendimento. Não seja burro ao extremos Aderivaldo em troca de um carguinho político para te proteger.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s