PMs rejeitam proposta de reajuste feita pelo GDF

Policiais durante reunião para discutir se acatavam ou não proposta do GDF (Foto: Isabella Formiga/G1)
Policiais durante reunião para discutir se acatavam ou não proposta do GDF (Foto: Isabella Formiga/G1)

Policiais militares e bombeiros do Distrito Federalrejeitaram a proposta de reajuste feita por Agnelo Queiroz em reunião na manhã desta terça-feira (18) em frente ao Palácio do Buriti. A categoria chegou a ficar em operação tartaruga durante três meses e só voltou a trabalhar normalmente depois que a Justiça decretou o fim do movimento.

Policiais militares em reunião geral em frente ao Palácio do Buriti, sede do GDF (Foto: Isabella Formiga/G1)
Policiais militares em reunião geral em frente ao
Palácio do Buriti, sede do GDF
(Foto: Isabella Formiga/G1)

Presente na assembleia, o major Ricardo Pato explicou que a proposta não foi acatada porque a categoria quer que o GDF encontre uma forma de distribuir o reajuste linearmente entre todas as patentes.

A proposta do GDF era de reajuste de 22% nos salários das categorias em três anos, o que vai aproximar os salários com os da Polícia Civil. No caso dos benefícios, os reajustes variam entre R$ 560, para praças, e R$ 1,2 mil, para oficiais. Tudo seria pago com recursos do governo local, por meio de um decreto.

Representantes da categoria afirmaram que não existe possibilidade de retomada da operação tartaruga. Os PMs disseram que vão entregar, até o dia 5, uma proposta ao GDF para negociar o reajuste.

Reunião
O coordenador do Fórum das Associações Representativas dos Policiais Militares e dos Bombeiros, Mauro Brambilla, disse que 15 associações da categoria participaram de reunião durante a madrugada com o vice-governador, Tadeu Fillippeli, para detalhar a proposta.

Coordenador do Fórum das Associações de Policiais e Bombeiros Militares do DF, Mauro Manuel Brambilla (Foto: Isabella Formiga/G1)
Coordenador do fórum da categoria, Mauro Manuel
Brambilla (Foto: Isabella Formiga/G1)

Segundo Brambilla, o GDF havia se comprometido a antecipar uma parcela do auxílio-alimentação, de julho para maio, e assinar um projeto de reestruturação da carreira. O PM também afirmou que a proposta apresentada poderia ser melhor.  “Mas é um primeiro passo para isonomia a ser alcancada em 2017”, disse.

“O governador tinha dito que ia abrir um estudo,  mas como estamos ha muito tempo pleiteando desde 2012 estamos escaldados. Depois de muito relutar, o governador se comprometeu a assinar em praça pública no aniversário do Corpo de Bombeiros, em julho, a proposta de reestruturação”, completou Brambilla.

Bate-boca
A proposta de reajuste de auxílio-moradira dividiu os policiais, já que o aumento é escalonado. “A maioria dos PMs está insatisfeta. Os coronéis estão fazendo lobby porque o reajuste pra eles é muito maior”, disse um soldado que não quis se identificar. “O auxílio será de R$ 3, 6 mil pra oficial e 1.100 pra praça. Vamos votar contra.”

Policiais militares batem boca em frente ao Palácio do Buriti, sede do GDF, durante reunião-geral da categoria (Foto: Isabella Formiga/G1)
Policiais militares batem boca em frente ao Palácio do Buriti, sede do GDF, durante reunião-geral da categoria (Foto: Isabella Formiga/G1)

Uma discussão sobre o assunto chegou a provocar bate-boca entre os PMs, enquanto eles aguardavam a votação da proposta feito pelo GDF.  No carro de som, um dos coordenadores pediu calma e afirmou que nada seria decidido sem votação.

Foto: http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2014/02/pms-rejeitam-proposta-de-reajuste-feita-pelo-gdf.html

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Tira dúvidas

Uma resposta para “PMs rejeitam proposta de reajuste feita pelo GDF

  1. Leandro

    Algumas observações;;

    1º) No ofício enviado pela Secretaria de Administração, com a proposta do GDF, trata-se diretamente com o Comandante-Geral da PM, porém cita que isso é feito por intermédio do “Fórum das Associações Policiais Militares e Bombeiros Militares”.. afinal de contas, quem é a liderança desse fórum?? Por que as zilhões de associações não falam a mesma língua?? Até bate boca entre os membros rolou hoje no Buriti..

    2º) Ainda em relação ao tópico anterior, o Comando da PM se manifestará de forma independente e institucional, ou aguardará a “autorização” desse fórum (que ainda não entendi a quem representa, pois não fala a mesma língua)??

    3º) Por que os PPMM, que tanto criticaram o Patrício (ex-Cabo, que voltou a usar a alcunha “Cabo Patrício” por razões políticas) ao longo de suas 2 legislaturas – e com razão, pois ele nada fez pela Corporação – agora acham que a proposta dele é a solução dos problemas e o tratam como salvador da Pátria?? Devemos tomar cuidado com isso, senão serão mais 4 anos de angústia..

    4º) Muito em breve, veremos vários desses “líderes” concorrendo nas eleições de outubro.. enquanto isso, o bonde continua andando..

    5º) “Presente na assembleia, o major Ricardo Pato explicou que…” MAJOR RICARDO PATO?! Tá de sacanagem né..

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s