Entre blogs: Policiamento comunitário no DF

Há algum tempo tempos vivido uma alternância entre viaturas e postos policiais. Muita coisa melhorou no que se refere a “filosofia de polícia comunitária”, pois vários cursos de multiplicadores foram oferecidos, mas não podemos afirmar o mesmo com relação as “ações de polícia comunitária”, em especial nas proximidades dos postos comunitários de segurança.

É evidente o sucateamento dos postos comunitários de segurança visando o fim do projeto, um “abacaxi” que ninguém deseja descascar. Milhões que irão para o ralo que escorre o dinheiro público. Outro ponto importante que nunca foi solucionado é:

O posto é um lugar de referência para a comunidade ou apenas uma base para o policial? Ele pode ou deve sair para o atendimento de ocorrência em sua proximidade?

Assista o vídeo e saiba um pouco mais. Expomos nele um bate papo entre três policiais que gostam do tema:

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em policiamento comunitário

4 Respostas para “Entre blogs: Policiamento comunitário no DF

  1. Sergio Santos

    Muito bom o vídeo, pena que realmente ainda não damos valor as ações desse policiamento que pode transforma a vida da sociedade; Hoje infelizmente a sociedade entende segurança pública somente como policia na rua, o que é um grande erro, com a filosofia de policiamento comunitário implantada da forma correta, tenho certeza que passaríamos de uma segurança pública de números para uma segurança publica mais humana, que iria contribuir para termos indivíduos menos desviante. Abraços a todos.

    Curtir

  2. Vídeo bom e pertinente, porém, vale lembrar que POLÍCIA COMUNITÁRIA se faz com dois elementos: FILOSOFIA e ESTRATÉGIA, isto é, os postos são apenas uma estratégia (frustrada); o mais importante em toda essa questão deveria ser a FILOSOFIA, a qual não vai mudar em nada nas atividades que a polícia hoje realiza, como as questões táticas e operacionais, mas vai MUDAR A POSTURA E A MENTALIDADE individual dos policiais, os quais passariam a ver a comunidade como PARCEIRA, veria o bairro como local de seu interesse, removendo as janelas quebradas (teoria das janelas quebradas), por fim, aproximando a polícia à comunidade estabelecendo cumplicidade entre as partes, reduzindo o medo do crime, com o objetivo de melhorar a qualidade geral de vida da cidade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s