“Federal” ou “Distrital”?

Hoje escrevo aos leitores e fãs do blog que há cinco anos estão me acompanhando diariamente. O espaço foi criado para debatermos uma nova maneira de pensarmos as ações da polícia.

O nome escolhido, “policiamento inteligente”, tornou-se uma “filosofia” de policiamento no DF, pois busca a eficiência, eficácia e efetividade das ações policiais, ou seja, busca a maneira mais rápida, mais barata e mais viável para solucionar os problemas voltados para a segurança pública.

Nesse período muito sonhamos, e muito do que sonhamos vimos aos poucos sendo transformado em realidade. Aqui acreditamos que “liderar é influenciar pessoas”. Ampliamos nossa visão a cada dia.

Nos próximos meses teremos vários desafios.Teremos que tomar uma grande decisão. Nosso grupo terá que definir se irá participar das eleições de 2014 como protagonista ou coadjuvante, e em que posição estaremos governamentalmente falando. Alguns convites estão sendo feitos e analisados, mas queremos evitar o canto da “sereia”.

As dúvidas são naturais. É chegado o momento? Vale a pena entrar para a política? De que maneira poderemos contribuir para a melhoria de nossa Corporação e de seus membros? Uma candidatura distrital ou federal? Onde seremos mais úteis? Precisamos responder tais perguntas.

Para uma candidatura a “federal” serão necessários praticamente 100 (cem) mil votos para garantir a vitória. Será necessário um grande engajamento de todos, pois somente a PMDF não tem eleitores suficientes para eleger um “federal” já que os votos são divididos e nosso banco de dados de policiais e familiares não passa de 90 (noventa mil).  Para “distrital” será preciso uma média de 20 (vinte) mil votos. É possível? Conseguiremos adeptos para tal desafio? Uma candidatura a “federal” poderá ser uma opção para criar uma grande frente em prol da segurança pública, polarizando entre o “novo” e o “velho”. Entre quem já disputou várias eleições e quem não disputou nenhuma. Precisamos de um representante na esfera federal, pois é lá onde resolvemos nossos problemas. Já uma candidatura a distrital pode ser um degrau para chegar na esfera federal.

A dúvida é: temos maturidade e união para compreendermos isso? É possível um projeto novo, de poder, voltado para a coletividade? Quem estaria disposto a ajudar?

motivacao1

Anúncios

15 Comentários

Arquivado em Política

15 Respostas para ““Federal” ou “Distrital”?

  1. Eduardo Luz

    Distrital é o melhor caminho, no entanto, temo pela pulverização de candidatos na PM e a real possibilidade de ficarmos sem representantes, mais uma vez…

    Curtir

  2. Antonio Adolfo Carneiro Alvarenga

    Não lembre dos perigos da sereia e afaste-a apenas por ter lembrado, ela existe e significa perigo, pense bem.

    Curtir

  3. A categoria realmente está preparada para ter um Dep. Federal ou Distrital? O que ela espera de um Deputado? O que o Deputado pode oferecer além de transformar a sua vida pessoal e se libertar as amarras dos militarismo? A categoria sabe como funciona um partido, como funciona o jogo “oposição situação, situação e situação”?

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Se não está preparada como “CATEGORIA” precisa se preparar como “cidadãos”.
      Se não sabe precisa aprender.
      Pagamos o preço por nossa ignorância e imaturidade em questões políticas.
      Precisamos avançar.

      Curtir

      • Vamos considerar de 2010 (últimas eleições) até 2014 (próximas eleições). O que foi ensinado para a categoria? O que foi desconstruído? Ensinar já na condição de Deputado? A categoria quando elege um Deputado acha que vai ter um Sindicato, e por isso tamanha frustração, pois desconhece quais os limites políticos que um Deputado pode agir, levando em conta o jogo situação Vs oposição e situação Vs situação.

        Curtir

  4. flavio pazini munchen

    Distrital. Mas será que poderemos confiar???????? Será realmente candidato a representante da classe policial militar ou mais um ” aspirante” a traidor????????

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      O medo de ser traído faz as pessoas traírem.
      O medo de ser engando faz as pessoas enganarem.
      O medo de ser abanando faz as pessoas abandonarem.
      Você confia em quem você conhece e conhece quem anda junto.
      Eu poderia confiar na tropa? Não serei traído por ela?
      É uma decisão difícil…

      Curtir

  5. FILIPPI

    Velho tinha feito um texto respondendo as sua perguntas, mas sem querer apaguei tudo quando fui colocar um ponto para encerrar a frase e o tablet não tem o ctrl + z….rrrrssssss
    Enfim, venha a DISTRITAL então!

    Curtir

  6. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    votar num lixo desse nunca fez nada pela PMDF a não ser babar bagos de oficiais..cria vergonha na cara jeguevaldo cardoso..
    vc vai ganhar o que maria ganhou detrás da moita.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

  7. Aderivaldo Cardoso

    Semelhante vota em semelhante, até imagino em quem votou..krs

    Curtir

  8. rondinelly

    Distrital….Vamos a luta, esta é a melhor parte. Se ao final vencermos bom se não vencermos seguir em frente,, Nunca tivemos nada com político devemos tentar por que se desistirmos jamais teremos…

    Curtir

  9. Antonio Adolfo Carneiro Alvarenga

    Aderivaldo, até hoje não sei se esse mundo político tem espaço para pessoas sérias, a despeito de toda necessidade de engajamento, visto que sou fã das ideias de Alexis de Tocqueville.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s