Por que precisamos discutir o aumento de efetivo na PMDF?

Durante algum tempo tenho discutido a necessidade de um aumento real de efetivo, mas creio que eu precise ser mais claro em minhas considerações. É possível que muitos não consigam visualizar o problema. Vamos explicar mais detalhadamente durante os próximos dias.

Primeiro precisamos compreender que a lei 12.086/09 fixa nosso efetivo policial em 18.673 (dezoito mil seiscentos e setenta e três) policiais. Atualmente temos na ativa, divididos entre os diversos quadros, postos e graduações 14.586 (quatorze mil quinhentos e oitenta e seis) policiais. O que nos deixa com um “claro” de 4.087 (quatro mil e oitenta e sete), ou seja, temos mais de 4 mil vagas para promoções, caso estejam na parte de cima da “pirâmide” ou para novos concursos, caso estejam na parte de baixo.

Nos últimos anos nossa corporação tem passado por uma redução considerável de efetivo, o que tem sobrecarregado aqueles que atuam na ponta. Em contrapartida, não se tem um programa de substituição desses profissionais que saem por diversas razões.

Nosso último concurso, na PMDF, ocorreu em 2010, tendo um atualmente ainda na primeira fase, mas que não irá suprir as demandas internas de efetivo. Ocorreu um vácuo de 9 (nove) anos de um concurso para o outro. Fato que será sentido nos próximos anos. Basta ver que em 2030, ou seja, daqui a 17 (dezessete) anos, os mais antigos do concurso de 2010 já estarão no último posto do Quadro de Oficiais Administrativos, pois todos os atuais policiais já terão indo embora, ou já estarão cumprindo seus últimos dias na corporação.

Enquanto o efetivo da PMDF diminui ano a ano, ocorre o contrário com a população e com o número de cidades no DF. Ao todo, pouco mais de 12 mil pessoas viviam nas terras do estado de Goiás (Planaltina, Brazlândia e fazendas vizinhas) que deram origem à nova capital. Esse é o número de habitantes que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) calculou no Censo Experimental realizado em 1957. Mais de 50 anos depois, os primeiros resultados do último Censo, em 2011, apontam que aproximadamente 2,6 milhões de pessoas vivem no Distrito Federal.

Em 10 anos, o DF teve um crescimento populacional de 24,9%, acima do aumento de 12,3% registrado pela população brasileira. Isso fez com que a Região Centro- Oeste aumentasse o percentual entre os 190.732.694 brasileiros de 6,9% para 7,4%.

De 2002 até novembro de 2009, com a publicação da lei 12.086/09 o efetivo da PMDF era fixado em 17.736 (dezessete mil seiscentos e trinta e seis) policiais, mas na ativa tínhamos apenas 15.410 (quinze mil quinhentos e dez) policiais, número bem maior do que temos atualmente que é um efetivo de 14.586 (quatorze mil quinhentos e oitenta e seis) policiais, sendo disponíveis para o emprego na rua um total de 10.516 (dez mil quinhentos e dezesseis) policiais, divididos entre as vários escalas da corporação.

Precisamos debater o tema visando a busca da eficiência, eficácia e efetividade das atividades policais. Não podemos nos silenciar quanto a isso. Não podemos negar o fato da idade avançada do efetivo e da insatisfação da maioria. Grande parte em uma pesquisa realizada na internet (facebook) apontou 08 (oito) fatores que motiva os atuais policiais a procurar novos concursos em busca de melhorias fora da corporação:

1)    Salário (necessidade financeira);

2)    Tratamento desigual (falta de reconhecimento e valorização diante das outras categorias);

3)    Autorealização;

4)    Desrespeito dentro da instituição;

5)    Ambiente de trabalho;

6)    Falta de perspectiva na carreira;

7)    Sobrecarga em decorrência da falta de efetivo; e

8)    Falta de gestão na Corporação.

motivacao1

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Perfil profissiográfico, policiamento inteligente

8 Respostas para “Por que precisamos discutir o aumento de efetivo na PMDF?

  1. Prezado Aderivaldo, como sempre, reitero meus cumprimentos pelo blog, sempre ativo. Sobre a questão proposta neste post, estou de pleno acordo que devamos discutir a questão do aumento de efetivo. Preocupa-me, entretanto (e sempre me preocupou) que façamos e tomemos decisões certas, historicamente, pelas razões erradas ou, ao contrário. Por isso, penso que na discussão sobre efetivo devamos incluir outras variáveis que não somente as aqui tratadas. Tem me preocupado muito as relações que são estabelecidas entre variáveis que, ao final, não apresentam evidências claras de que estão relacionadas, notadamente as de aumento de efetivo relacionado com eficiência, eficácia e/ou efetividade do serviço policial. Outra questão que me parece essencial de ser tratada é o equilíbrio entre decisões que favoreçam somente o público interno e as que favoreçam somente o trabalho policial ou o resultado dele. Temos visto decisões que, infelizmente, tendem, de forma desequilibrada, a favorecer uma coisa ou outra. O equilíbrio é o que demonstra que estamos diante de uma instituição/categoria madura.
    Por ora, é essa minha colaboração à discussão.
    Um abraço.

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Como sempre professor (permita-me chamá-lo assim), muito pertinente. Quando falamos em eficiência, eficácia e efetividade das ações policiais, de maneira muito simplificada, estamos falando em atender uma ocorrência de maneira rápida, barata e que leva em consideração os anseios da “vítima”, no que se refere também a tratamento, além disso, quando falamos em segurança pública estamos necessariamente falando em redução do espaço de atuação dos criminosos, corrija-me se eu estiver errado, sendo assim, não posso deixar de crer que quanto maior o efetivo, mais fácil tornar-se atender a todos os requisitos acima. Quanto ao fato do equilíbrio concordo plenamente. No blog, diferente dos meus trabalhos acadêmicos, preciso delimitar todo o pensamento em no máximo uma página, tento passar a essência do pensamento para que ele seja debatido entre os colegas de maneira mais ampliada.
      Por ora, creio que seja só. Tendo um tempo para uma conversa, será um prazer debater o tema com o senhor.
      Grande abraço

      Curtir

      • Aderivaldo, primeiro, é sempre um prazer conversar e debater com pessoas inteligentes. Agradeço a deferência e espero ser merecedor. Quanto a discussão que se inicia nessa nossa conversa, creio que temos aí, alguns pontos que precisam ser muito esclarecidos. Como eu disse, não há evidências em nenhum estudo até aqui, de relação entre quantidade de efetivos e eficácia da polícia. Lembre-se que o Brasil, em números brutos, é um dos países com maior efetivo policial do mundo e, no entanto… Portanto, estamos falando de outras variáveis que devem, necessariamente, ser incluídas na análise. De igual forma, um efetivo grande não assegura, necessariamente, a “redução do espaço de atuação dos criminosos”. Nesse sentido, as variáveis ambientais são muito influentes. Assim, creio que devamos “sentar e analisar” de forma muito fria e racional as diferentes variáveis que estão presentes na questão da eficácia, eficiência e efetividade da polícia, bem como a questão do atendimento rápido à população e, principalmente, o atendimento aos anseios dos integrantes da corporação (ões). Penso, repito, que somente um equilíbrio nas decisões entre todas essas questões é que poderá produzir um resultado adequado. Mas, para além de tudo isso, somente uma boa gestão da segurança pública, incluídas, obviamente, suas instituições, é que poderá produzir um resultado satisfatório para todos, até para os criminosos.

        Um abraço e estou à sua disposição. Vamos marcar para tomarmos um café e conversarmos.

        Curtir

  2. Ah! E, por favor, não entenda que sou contra o aumento de efetivo. Apenas penso que devamos analisar tudo isso com o cuidado devido para não fazermos outra “reestruturação” desastrosa com resultados futuros bastantes perversos.

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Jamais pensaria isso, o debate é visando o melhor para a Corporação e a segurança pública. Tenho o mesmo sentimento. Nestas horas o “pesquisador” fala mais alto. Sem paixão…Somos razão…Abraço

      Curtir

  3. Aderivaldo Cardoso

    Republicou isso em Brasília Inteligente.

    Curtir

  4. rock

    alguns numeros.

    http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/policial-militar-traz-seguranca-o-tamanho-da-pm-nos-estados

    DF tem 1 policial pra cada 180 habitantes

    http://www.governing.com/gov-data/safety-justice/law-enforcement-police-department-employee-totals-for-cities.html

    NYC tem 1 oficial (acho q inclui bombeiro e outras forcas) pra cada 239 habitantes

    Ainda bem que no DF temos uma policia melhor que em NYC.

    Curtir

  5. Marcelo rezende

    A crise da pmdf não é só operação tartaruga não. Hj nã se vê policia na rua. Cadê o efetivo da pmdf. Triste o governo falou que ia colocar 1000 pms a cada ano de governo é até agora nenhum. Triste.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s