Governador, quanto vale a vida de um policial militar e de um bombeiro no DF?

Recentemente perdemos alguns companheiros de farda. Ultimamente tenho me perguntado: “quanto vale uma vida?”

Uma vida é tão preciosa que não tem preço. Nenhum dinheiro do mundo vale uma vida. Tanto é assim que em nosso país não temos pena de morte. Será?

Não temos pena de morte para os bandidos, mas para alguns companheiros, muitas sentenças já foram executadas. Policiais e bombeiros são “caçados” e mortos por bandidos em nosso país. Isso me remete a outro dilema: “quanto vale a vida de um policial militar e de um bombeiro?”

Se formos “valorar”, dar um preço, à vida de policias e bombeiros, teria alguma diferença? Teria diferença entre a vida de um policial civil e um policial militar? Entre um bombeiro e um agente do Detran? E o risco que cada um corre? Quem se arrisca mais? Quem está na rua diuturnamente arriscando a própria vida em prol da sociedade?

No Distrito Federal o governo vê grande diferença entre a vida de um policial civil, um agente do Detran, um bombeiro e um policial militar. É notório o tratamento diferenciado que é dado dentro da mesma estrutura, ou seja, a secretaria de segurança pública. Todos os profissionais com nível superior, mas com diferenças salariais enormes, em especial, no valor do risco de morte. O que é vergonhoso e absurdo em nossa capital! É passada hora de acabarmos com tal diferença.

Por: Aderivaldo Cardoso

A organização da Polícia nos Estados Unidos

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em desmilitarização das polícias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s