O soldado e as suas finanças

Ultimamente tenho me silenciado, mas observo o andamento das discussões em nossa Corporação. Normalmente quando me silencio é porque estou de alguma forma tentando me aperfeiçoar como ser humano. Acho importante seguir a linha de que antes de liderarmos os outros temos que liderar a nós mesmos. Tenho focado em organizar minha vida em várias áreas, que estava um pouco bagunçada nos últimos anos.

Mesmo em silêncio tenho visitado alguns quartéis, aproveitado a oportunidade para rever amigos e falar sobre a vida. Ontem mesmo estive até onze e meia da noite falando também com alguns colegas dos Bombeiros Militares do DF. Falamos sobre alguns planejamentos para ações futuras. Um excelente grupo que pode fazer muito nós próximos anos.

Sobre organizar a vida, percebi que vários amigos estão passando pelas mesmas dificuldades, independente do posto ou graduação. Depois de quase treze anos tive coragem de relacionar todas as minhas dívidas e de pedir ajuda para me organizar. Alguns podem achar exposição dizer o que vou dizer agora, mas não tenho vergonha de dizer que chegou ao ponto de ter em meu contra-cheque 08 (oito) empréstimos. Está certo que sempre tive outras atividades fora da PM, mas olhar para o contra-cheque da PM e ver apenas um quinto do meu salário chega a dar tristeza.

Graças a Deus tenho começado a organizar as coisas. Meu cunhado e os outros familiares iniciaram uma verdadeira maratona para me ajudar a livrar do juros. Um boleto pago recentemente me fez economizar 12 mil reais de desconto dos juros e outro pago com a ajuda do meu cunhado gerou um desconto de aproximadamente 28 mil reais de juros também. Não é fácil, pois para pagá-lo decidi vender meu carro e utilizar o 13º salário e férias para quitar esses valores até o final do ano. Estou decidido a resolver isso. É uma questão de honra…

424201_473878496009444_1777767913_n

A primeira sensação que tenho é de perda. Muito estranho. É como se estivesse empobrecendo. É impressionante como é a luta em nossa mente. As vezes vem até o pensamento: “o que irão pensar de mim, ao me ver andando a pé ou de ônibus?”, besteira,  mas depois a sensação de alívio é enorme. É maravilhoso saber que posso contar com algumas pessoas de forma fora do comum. Jamais imaginei ver algo assim em minha vida. Alguém disposto a me ajudar, dando um voto de confiança como meu cunhado deu. Não tenho palavras para agradecê-lo.

Um amigo me disse uma frase um dia que mudou minha vida: “como podemos ajudar os outros se não estamos em condições de nos ajudar?” Como iniciei o texto, acredito que antes de liderar os outros temos que liderar a nós mesmos. Tenho tentando organizar minha vida em todas as áreas, dando um passo de cada vez. Irei conseguir! Você também é capaz…

piramide_do_sucesso[1]

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Reflexão

5 Respostas para “O soldado e as suas finanças

  1. Grande Aderivaldo, líder é líder e não embusteiro. Parabéns nobre colega , suas palavras são sempre um incentivo aos sensatos.

    Curtir

  2. Aderiva, boa noite, estou com dúvida, de quem voce está falando? é das suas contas ou das minhas?

    Curtir

  3. Aderivaldo Cardoso

    Bom dia meus amigos Roner Gama e Silva Sá, infelizmente vivemos os mesmos dilemas e dificuldades. Alguns escondem a sujeira debaixo do tapete, mas quem realmente mudar precisa encarar as dificuldades de frente. Abraço e obrigado pela força. Vamos juntos criar mecanismos para resolver nossos problemas. A instituição é feita por homens e mulheres para mudá-la precisamos mudar. Precisamos crescer enquanto seres humanos. Buscar soluções para os nossos problemas, não podemos depender do governo.

    Curtir

  4. Malone

    Um amigo meu também me disse: “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
    Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
    Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.”
    Mateus 7:3-5

    Curtir

  5. FILIPPI

    Também já passei por isso, trava-se uma vedadeira luta com o emocional que continua querendo consumir sem limites.
    Saída: alfabetização financeira e procurar curtir em casa, assistindo filmes ou realizando leituras. Passar final de semana na casa de familiares, quando possível, também é muito bom e fortalece os laços. Dependendo do caso faz-se o resgate de família.
    Levei mais de 01 ano para voltar a ser livre financeiramente e não voltarei a passar por isso novamente, não deixarei meus desejos consumistas me dominar.
    Bem, é isso, leva-se um tempinho mas o retorno é imenso.
    Forte abraço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s