Outra realidade…

Jornal do Riacho Fundo

Jornal do Riacho Fundo

A cidade do Riacho Fundo I sempre foi considerada por seus moradores um lugar seguro, mas de um tempo para cá essa situação tenho mudado muito.  A Nova realidade está se desenhando. De cidade pacata a uma cidade com sérios problemas de segurança pública.

É visível nos meios de comunicação o aumento da violência na cidade. Recentemente três homicídios na mesma semana surpreenderam os moradores, além de sequestros relâmpagos e um ferido por “bala perdida”.

Quando falamos em segurança pública, estamos falando em redução dos espaços de atuação dos criminosos. O Riacho Fundo é uma cidade bem organizada na sua divisão espacial. Na prática é bem planejada. Mas as forças de segurança não estão sabendo aproveitar esse ponto positivo.

A falta de iluminação em algumas áreas tem contribuído para o cometimento de alguns crimes, a falta de efetivo policial também. Falta policiais para o policiamento preventivo e para fazer investigações, algo essencial para prender e manter presos os bandidos. A sensação de impunidade tem facilitado o ingresso de menores no mundo do crime.

Os homicídios na cidade não são de hoje. Os pontos onde eles ocorrem são conhecidos. Os mortos em sua maioria também, normalmente são jovens, seus executores menores de idade, envolvidos com o uso e venda de drogas na cidade.

As autoridades precisam se posicionar. As ações devem ser mais efetivas, eficazes e eficientes. Uma das quadras com maiores problemas de drogas e disputas entre os jovens é a QN 01. Nesse local, aproximadamente, quatro bares potencializam o cometimento de crimes na cidade. O local próximo a passarela já é conhecido como cracolândia. Nas esquinas o tráfico corre solto.

Uma alternativa nesse caso pode ser um “saturamento” da área por pelo menos um mês com o apoio de policiais de outras unidades, por meio do serviço voluntário, além das equipes especializadas: Rotam, Patamo, Cavalaria, Batalhão aéreo, serviço velado, dentre outras. O foco deve ser a repressão ao tráfico, ao consumo e a busca por armas. Segundo moradores, o consumo de drogas na praça do coreto, nas proximidades do posto policial, as ameaças e a exposição de jovens utilizando armas é algo comum.  Além disso, as investigações por parte da polícia civil devem ser mais ágeis, buscando o mais rápido possível a materialidade e autoria dos fatos para tirar tais bandidos de circulação.

A falta de efetivo, a desmotivação, a falta de recursos e as leis ineficientes não podem ser desculpas das autoridades para o descaso em que a cidade está vivendo. O crime não pode vencer essa guerra, pois os maiores prejudicados são os cidadãos de bem.

riacho fundo brasilia2

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em polícia militar

3 Respostas para “Outra realidade…

  1. Sgt. Nêiliton

    Como podemos pensar na criação de uma associação “ÚNICA” se o que vemos aqui neste blog e quase todos que acesso são xingamentos e ataques pessoais, a Jabá, Sansão, João de Tal, Pato, Gtop, Tor, Bope, Aspra, RD, estamos nos digladiando há meses enquanto as pessoas de quem deveríamos cobrar devem estar rindo àtoa com nossa desunião, com certeza eles jamais imaginaram que seria tão FÁCIL nos dividir em facções que estão se tornando cada vez mais inexpressivas, o que éramos em fevereiro de 2012? Vejam como estamos agora? Governo não nos respeita mais, PCDF não nos respeita, oficiais não nos respeita, e as praças quem deveriam ter respeito pelos próprios pares permanecem num embate que só afastam ainda mais aqueles que já andavam distantes das assembleias, tenho feito críticas sem contudo recorrer a ataques ou xingamentos baratos, por conta de desavenças com antigos aliados gostaria também que o administrador do blog Tenente Poliglota usasse de mais prudência ao liberar esses tipos de comentários ofensivos, ou o blog sucumbirá junto com todos, ninguém se sentirá bem ao abrir uma página na net para ver brigas, xingamentos e troca de acusações, a fórmula se esgotará e o público vai desaparecer com certeza, não gostamos de ouvir críticas contra nós mesmos, por isso peço com humildade ao Poliglota que seja publicado esse post.

    Curtir

  2. Aderivaldo Cardoso

    Troca de Comando no Riacho Fundo:
    EXONERAR o TC QOPM SIDILON MARCELO MOTA DE SOUSA, matrícula 50.186-7, do
    Cargo em Comissão, Símbolo DFG-14, de Comandante, do 28º Batalhão de Polícia Militar, do Comando de Policiamento Regional Sul, do Departamento Operacional, do Subcomando Geral, da Polícia Militar do Distrito Federal.
    NOMEAR a TC QOPM DENISE DANTAS DE AQUINO, matrícula 50.215-4, para exercer o
    Cargo em Comissão, Símbolo DFG-14, de Comandante, do 28º Batalhão de Polícia Militar, do Comando de Policiamento Regional Sul, Departamento Operacional, do Subcomando Geral, da Polícia Militar do Distrito Federal.
    Fonte DODF do dia 30/04/2013

    Curtir

  3. Pingback: Segurança Pública: Riacho Fundo I pede socorro | Aderivaldo Cardoso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s