Drogas: o drama dos viciados e trabalho policial no Setor Comercial Sul

Ao analisarmos a questão do Crack no DF precisamos compreender que os usuários em situação de internação involuntária ou até mesmo a internação compulsória, ou seja, aqueles que a pedido da família ou de terceiros (estado) a justiça são obrigados a serem desintoxicados, pois já trazem riscos para si próprios ou para a sociedade, encontram-se morando nas ruas do DF ou em situação de rua em decorrência das famílias não suportarem mais as dificuldades e os problemas resultantes do consumo da droga.

733935_588939537782727_1154615691_n

Atualmente, a população de rua ou em situação de rua é de aproximadamente 3 (três) mil pessoas no DF, segundo o último senso, sendo usuários de crack, aproximadamente 15% dessa população, divididos entre adultos, adolescentes e crianças. Desse percentual, alguns encontram-se no estágio inicial, outros no estágio intermediário e aqueles que mais causam danos a sociedade e a si próprios estão aqueles que estão no estágio final da droga, ou seja,  já não possuem mais o controle das próprias vontades. Precisamos agir nos três níveis. Além de uma atuação direta com as  famílias daqueles usuários que ainda não foram para as ruas. É um grande desafio.

579899_426764144085263_525245495_n

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Tira dúvidas

Uma resposta para “Drogas: o drama dos viciados e trabalho policial no Setor Comercial Sul

  1. Pingback: Crack: por que a exceção não deve ser a regra | Aderivaldo Cardoso

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s