Semana zero no curso de formação!

No último texto utilizei a expressão SEMANA ZERO e alguns colegas que não são policiais ficaram curiosos para saber o que é e como funciona essa semana, sendo assim, vamos as explicações.

O concurso para soldado é diferente da maioria dos concursos existentes por aí. A fase de seleção leva bem mais tempo que os “normais” e quando entramos nosso curso de formação também é completamente diferente dos demais.

A primeira diferença é que não somos nomeados, somos matriculados. A segunda é que não tomamos posse, somos incorporados. Após isso, o processo de “mortificação” ou “despersonificação” é iniciado. Deixamos de ser “paisanos folgados e mimados” para nos tornarmos MILITARES ou melhor POLICIAIS MILITARES, seres sem IDENTIDADE! Nem paisanos, nem policiais, nem militares…

No primeiro dia chegamos felizes, cumprimentando os conhecidos, na maior expectativa. Todos arrumados, mulheres de salto, homens de roupa social…

De repente tudo muda. Somos apresentados a um “bando de loucos fardados” (era assim que eu os via) gritando  e nos tocando feito boiada. Estava iniciando o ADESTRAMENTO. Gritos do tipo: “Correndo aluno, no pátio é correndo!”, “Vamos seu muxiba”, “Venha cá seu monstro!”, “Olha esse amarelo ridículo aqui!”, “fala ser desprovido de luz!”, “o que você tá querendo seu muquiço?”, fazem parte da rotina.

Outro ponto que me chamou a atenção e foi o ápice no narcisismo castrense foi quando fomos apresentados ao nosso novo “chefe supremo”. Esse fato chocou a muitos. Um tenente chega gritando dizendo que ele era o “emissário de Deus” e que tinha um recado para nós. Depois nos disse que iria nos apresentar ao próprio Deus aqui na terra e que deveríamos obedecê-lo e seguí-lo. Para minha surpresa fomos apresentados a um CAPITÃO, descobri naquele momento que o “capitão é Deus aqui na terra“. Durante muito tempo tremia ao ver um capitão no pátio do CFAP e depois de muito tempo de polícia quando chegava perto de um.

Após o primeiro choque fomos divididos em pelotões, os gritos mudaram, agora eram vários pulos em um sol ardente. O comandante gritava: “frente pra retaguarda, retaguarda, retaguarda…”, ficávamos horas rodando no próprio eixo e gritando em resposta: “rá!” Depois ele passou a gritar: “sentado, um, dois!”, respondíamos: “três, quatro!”, novamente ele gritava: “de pé, um, dois!” e respondíamos novamente: “três, quatro!”

Depois de exaustos passamos a ouvir os gritos: “se não aguenta pede baixa aluno!”. Lembro-me que alguns pediram…Isso durou uma semana, por isso o nome: SEMANA ZERO!

Após isso, iniciaram as atividades em sala de aula. Algumas coisas mudaram, mas a maioria continuou, até o coronel limitar o acesso de alguns oficiais aos alunos, teve um que não podia chegar perto dos alunos, mas usava um megafone e de longe gritava: “No pátio é correndo aluno, paga dez pro tenente!”

Anúncios

42 Comentários

Arquivado em Aderivaldo, desmilitarização das polícias, polícia militar, reestruturação das polícias, Reflexão

42 Respostas para “Semana zero no curso de formação!

  1. Leandro

    A diferença entre o remédio e o veneno é a dose.
    Passei por dois cursos de formação, um de praça e outro de oficial. Já ri muito e já passei muita raiva das coisas a que fui submetido. Mas nas que a dose não foi excessiva posso dizer elas sao eficazes para que se destinam.
    Mas hoje a coisa e muito diferente. Ninguem vai passar pelo que passamos, Aderivaldo.

    Curtir

    • RENATO

      Tenente, tive aulas com o Senhor no gran de taguatinga.
      Pelo que me lembro, o Senhor disse que não há mais esse rala inicial, mas creio que ainda exista, sim, algo parecido.
      Estou muito feliz em poder ingressar na PMDF. Sonho se concretizando. Espero conseguir passar esta semana zero sem traumas maiores…rs E pega leve nessa semana, tenente.

      Até.

      Curtir

      • Leandro

        Perdão Renato, mas vc está me confundindo. Sou o ten Leandro Guimarães. Mas desejo a vc que tudo corra bem o teu curso. Não se preocupe, não há motivos para isso. Vai ser muito bom tê-lo conosco.

        Curtir

  2. Aderivaldo Cardoso

    Pra falar a verdade eu ri muito escrevendo esse texto…
    Não tenho raiva, fiz vários amigos nessa época.
    Espero que não passem por isso.
    Mas creio que ainda sentirão um pouco do que é o adestramento..srsrs
    É importante o rito de passagem e o processo de despersonificação! rsrs
    Lógico que dentro da legalidade e com doses homeopáticas.rsrs
    As coisas mudaram, mas nem tanto meu amigo tenente!!kkkrss

    Curtir

  3. PEDRO ALMEIDA

    DEPOIS DE TUDO, SERÁ DISSO QUE TEREMOS SAUDADES.

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Sinto muita saudade da época de curso.
      O tempo passa é você percebe que foi uma época maravilhosa…
      Você é moldado a tal ponto que se sente outra pessoa. É importante tomar cuidado, pois isso pode ser bom, como pode ser ruim…
      Isso demonstra o quanto os intrutores tem um papel fundamental em nossa formação.
      Agradeço a todos eles.
      Tive um excelente comandante de pelotão. Ontem mesmo tive a oportunidade de falar com ele.
      Se tornou um grande amigo. Já agradeci ele no texto: os grandes mestres!
      Sgt LIMA – Francisco Flávio de Lima, hj subtenente Lima – Médico veterinário. Fez cursinho comigo. Entramos juntos na faculdade, meu maior orgulho!!!

      Curtir

    • Leandro

      Pedro, no início vai parecer que nunca sentirá saudades, mas no final vai ver que é muito bom pelas amizades literalmente “forjadas” no calor da dificuldade. Isso é o melhor que podemos extrair dessa condição de aluno numa instituição militar.

      Curtir

  4. Olá companheiro! Vamos fazer uma parceria de links? Já adicionei o seu no meu blog.

    Forte abraçoe e JUNTOS SOMOS FORTES!!!!

    Curtir

  5. Abdon

    Muito bom o texto…
    To rindo hoje, pra chorar (ou não) amanhã, rs…
    Na verdade, passei um pouco por isso no curso de formação para Técnico Penitenciário, mas creio que na PM o “adestramento” seja mais puxado, rs..
    O bom de tudo são as amizades que ficam depois…
    Que começe logo essa semana zero…
    Abraços!

    Curtir

  6. Leandro

    As diferenças que o Aderivaldo apontou são interessantes. Não somos nomeados, mas incorporados. O lado positivo disso é que vc JÁ FAZ PARTE DA CORPORAÇÃO. Portanto, se ocorrer algum infortúnio durante o curso, vc estará coberto pela nossa legislação no que tange a atendimento médico e previdência. Uma vez um colega meu que foi PRF contou que, no curso de formação dele, um aluno sofreu um acidente numa instrução de tiro. Com paintball. O resultado foi a perda da visão de um olho e a não nomeação para o cargo. Portanto, quando vcs ingressarem não precisarão mais ficar esperando do lado de fora pela nomeação.

    Curtir

    • PEDRO ALMEIDA

      POR ISSO MESMO “ALUNOS”, PODEMOS TIRAR A MÁSCARA NO PAINTBALL (POIS ESTAS EMBASSAM DEMAIS) QUE ESTAREMOS APARADOS. TALVEZ CEGOS, MAS AMPARADOS…

      Curtir

    • Anderson

      que interessante leandro, estava preocupado com isso! Pensava que se ocorresse lesão ou contusões eramos eliminados ou tivessemos problemas.. ou nota ruim na disciplina de educação física etc…
      Quer dizer que terei todo o aparato medico da pmdf?? é isso?

      Curtir

      • Anderson

        inclusive previdenciário, caso fique mais de 15 dias encostado??

        Curtir

      • Leandro

        Veja bem, é um curso que faz parte do concurso.
        Nota em educação física vc tem que tirar. Se houver lesão em decorrência das atividades há amparo. Há determinados pré-requisitos para isso. Confesso que desconheço os detalhes, mas o principal é o que já mencionei. Vocês não estarão abandonados à própria sorte. Esse é o lado bom de uma instituição um tanto paternalista como a PMDF. Tem gente que reclama dizendo é tratado como moleque e não como profissional. Muitos desses, se fossem tratados como profissionais, já estariam fora da corporação há muito tempo.

        Curtir

  7. FUTURO PMDF

    RENATO SEI QUAL É ESSE LEANDRO DO GRAN DE TAGUA VC ESTA FALANDO, É O LEANDRO ANTUNES CARA GENTE FINA , HUMILDE PACAS , POREM NÃO É MAIS TENENTE AGORA ELE É CAPITÃO !!!! ABRAÇOS A TODOS E QUE VENHA LOGO A SEMANA ZERO NÃO VEJO A HORA PORQUE COMO DIZ O DITADO “O QUE NÃO ME MATA ME FORTALECE”

    Curtir

  8. Carlos

    Aderivaldo soldade de segunda classe tem funcional?

    Curtir

  9. gabriel

    para quem faz a barba , desde os 15 anos, apenas aos sábados e ainda fica detonado…

    vai ser dureza!

    heheheh

    abraço

    Curtir

    • Oliveira

      Gabriel, eu usava uma pomada de nome “minâncora” para amenizar os problemas de irritação com a barba.

      Curtir

    • Fantasma

      Também fico preocupado com a questão da barba!
      Já ouvi falar que dá pra ter restrição médica quanto a isso e apresentar no curso, daí vc faz a barba de dois em dois dias…
      Algum antigão pode dizer se dá pra ser assim ou temos que fazer a barba todos os dias até sangrar.

      Curtir

  10. Gostei muito da interação e do texto apresentado, é possível demonstrar que a polícia está se tornando um ambiente familiar, com pessoas que chegam para somar.

    Curtir

  11. Quero fazer uma sugestão para o blog, que se trata da conclusão do Curso em Tecnologia em Segurança e Ordem Pública, que se forma agora neste mês, para que se faça uma homenagem aos valorosos policiais militares, que se entregaram a mais esta nobre missão em prol de sua formação e capacitação profissional, para estar a serviço da sociedade. Espero que o nobre companheiro Aderivaldo possa expandir a informação e abrilhantar este momento especial na vida de tantos policiais.

    Curtir

  12. Meu nobre amigo,

    Sõ vou discordar de você em um ponto “para nos tornarmos MILITARES ou melhor POLICIAIS MILITARES, seres sem IDENTIDADE! Nem paisanos, nem policiais, nem militares…”

    Somos seres com uma identidade (profissional) muito forte, que inclusive é preponderante sobre nossas demais identidades (pai, esposo, filho, membro de igrejas, clubes, etc.).

    Mas sinceramente espero não mais ver este tipo de comportamento em nossos cursos.

    Abraços,

    Thiago

    Curtir

  13. Gama Sigma

    No passado, havia o rala físico, mas o conteúdo epistemológico era fácil. Todos ralavam, mas quase ninguém reprovava. No próximo Curso de Formação de praça, o rala será intelectual. A classificação será muito importante para os neófitos.

    “Resta saber se haverá muitas reprovações.”

    A propósito, quem é o sujeito da frase acima?

    Gama Sigma, instrutor de Língua Portuguesa do CFAP.

    See you!

    Curtir

  14. Abdon

    Só espero que não apareca nenhum instrutor com uma Vuvuzela no nosso ouvido, rs…

    Curtir

  15. Oliveira

    Excelente texto, Aderivaldo.

    Tirando os incômodos de ter alguém gritando no seu ouvido, vejo o lado positivo que é tornar o policial mais resistente às provocações de um “cidadão”(alvo do nosso trabalho) por aí nessas paragens distritais.

    Quanto ao “rala” físico, a mim não afetou, pois fui lavrador e servente de pedreiro. Vi vários colegas DESABAREM no pátio do CFAP e da APMB, literalmente! Daí a necessidade da exigência de um bom condicionamento físico!

    Infelizmente, no serviço amiúde de rua, não adianta só vigor intelectual!

    Curtir

  16. Kleuber Nascimento dos Reis

    Espero q este curso quebre paradigmas, espero q todos os alunos sejam tratados como profissionais, claro que as brincadeiras são saudáveis, mas existem coisas q acontecem em um curso d formação que não deveriam existir. Um exemplo é o aluno ter q andar com os braços para trás por onde anda, digo isso pq é similar ao sistema prisional os presos tem esse comportamento.
    O ultimo curso deixou marcas tristes para os alunos, histórias q ate hoje não foram esclarecidas e que deixaram um impressão negativa em alguns pontos, tenho certeza que este curso será o melhor d todos e que as pessoas q estão ali pra ensinar não medirão esforços pra passar todo conhecimento q tem.

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Excelente observação meu amigo…
      Esqueci de citar que durante todo curso andamos com as mãos para trás…
      Meu curso por exemplo durou dez meses…

      Curtir

  17. FiremanDF

    Depois de passados vários anos, conseguimos rir de muitas coisas ocorridas no curso de formação de soldado. Hoje, mais maduros, sabemos que alguns aspectos que julgávamos absurdos tinham um propósito. Outros, nem tanto…rs.

    Acredito que esse curso será o melhor da PMDF. Assim como o próximo no CBMDF também entrará para a história.

    Essa é a PMDF/CBMDF do FUTURO !

    Curtir

  18. Gama Sigma

    “Resta saber se haverá muitas reprovações.”

    O sujeito da frase acima é uma oração: O que resta? “saber se haverá muitas reprovações”

    Colocando a frase nas ordem direta, fica fácil perceber o sujeito oracional: “Saber se haverá muitas reprovações resta.”

    “Isto resta” – sujeito oracional seguido do verbo intransitivo “resta”

    Curtir

  19. Eloi

    É pessoal a postagem me deu saudades dos tempos de EB, me vi ali no pátio do BGP ralando muito!!! além do ralo psicologico que era de lascar…. mas isso me deu mais forças na vida e forjou meu carater, agora aguardo nossa incorporação na PMDF!! Que venha o ralo, que venha o CFP!! eu já estou pronto!

    Sd. Eloi ( Granadeiro – Infa – GD).

    Curtir

  20. Pingback: Alunos do Curso de Formação de Soldados torturados no Ceará! Até quando? « Policiamento Inteligente

  21. Patrícia Maria

    Incrível como é exatamente como o Aderivaldo falou, sou Aluna CFSd do Rio de Janeiro e tivemos a Semana zero que aqui é chamada de Semana Quente, o militarismo é padronizado independente da região, rs, mais sei que sentiremos saudades disso tudo e que servirá muito do que teremos que enfrentar pela frente, principalmente nós que somos do Rio, há muitas dificuldades para serem superadas! Mais é isso aí, adorei ver que não é somente eu que tenho o mesmo pensamento, rs!!! Aderivaldo Bom, muito bom! De pé 1,2 …. kkk

    Curtir

    • Aderivaldo Cardoso

      Seja bem vinda Patrícia!
      Atualmente trabalho com alguns policiais do Rio de Janeiro. Gosto muito deles!
      Esqueci do Muito bom aluno, muito bom!!
      Bom aluna FO positivo pra vc!!
      rsrs

      Curtir

  22. Aderivaldo Cardoso

    sábado, 10 de julho de 2010
    1º dia do curso de formação da primeira turma de soldados de nível superior no Brasil – PMGO
    Bom Dia caro leitor, hoje estarei postando um texto escrito por um Aprovado na PMDF, André Ortiz, o mesmo resolveu nesse meio tempo em que o concurso para soldado da PMDF não desenrola, prestar o concurso para Soldado da PMGO que foi feito de forma excelente, em período de 3(três) meses, dando um verdadeiro show de organização e contratação de novos policiais, algo que esperamos que a PMDF aprenda para os futuros concursos a serem realizados.

    Pois bem, foi iniciado o curso com a primeira turma de soldados de nível superior no Brasil ontem (vale lembrar que o primeiro concurso foi o da PMDF, mas que a PMGO conseguiu começar o curso deles primeiro), e a convite deste blogueiro, pedi para o André descrever como foi seu primeiro dia e seu sentimento em relação ao mesmo. Segue o texto:

    Depois de muita luta chega o esperado dia o Curso de Formação de Soldados. Reunimos os amigos de Brasília que foram aprovados e fomos para Goiânia, na estrada muita ansiedade vários comentários de como que seria o tal 1º dia. Chegamos a Goiânia verificamos nosso uniforme, calça jeans azul, camisa preta e tênis preto, e cabelo raspado (permitido escolher de 0 a 2, sendo 1 na lateral do cabelo e 2 em cima). O fim do dia não chegava para poder deitar e chegar logo no curso, ao deitar o sono não vinha, pois só pensava no 1º dia.
    Pronto! Acordamos às 5 horas da manhã, nos arrumamos e saímos todos iguais, apreensivos, ao chegar à academia de polícia às 6hs e 30min, pois não pode haver nenhum atraso percebemos vários alunos adentrando o portão e também a ansiedade nos rosto de cada um.
    Às 7 horas fomos recebidos por vários oficiais e praças que começaram a dar informações e dividir as companhias e os respectivos pelotões, logo depois de separados, cada um no seu pelotão fomos recebidos pelo “chefe de pelotão” no meu caso foi um sargento e logo mandou ficar em forma e nos ensinar como.
    O sol começou a ficar forte, e a pressão sobre nós também tínhamos que aprender a marchar, sentido, cobrir, descansar, aprender o significado do toque da corneta, entre outros.
    Tudo tinha que sair em perfeita harmonia com seu pelotão, girar a direita, frente para retaguarda, marchar no mesmo ritmo, nossa e o sol de meio dia esquentando nossas roupas pretas e começou a famosa pressão psicológica – boraaaa alunoooo… O dia ta só começando! E a sede apertava vindo a fome junto. A tal posição de descansar nada mais era que uma dolorosa posição que doía o deltóide e a lombar, posição essa que suas mãos tinham que ficar de um determinado jeito que toda hora era inspecionado pelo sargento e se algum estivesse errado era duramente chamada a atenção.
    Nossa já se completava 5hs em pé, as pernas não agüentavam mais, e o dia estava apenas pela metade, até que fomos liberados para almoçar, nossa um alívio, ao sair do grupo fui ao encontro dos amigos que por vez não caíram no mesmo pelotão, cada um veio com uma história de como foi, várias risadas e pensamentos com apenas um propósito animador virar um Policial Militar.
    Findo o horário de almoço todos já tinha que estar em forma no horário estipulado pelo sargento, os atrasados recebem punições então se percebe que o horário de um militar é importantíssimo. Pronto o sol estava pior 14hs literalmente rachando na testa, começamos a treinar, agora cada vez mais, a posição de cobrir era uma luta, pois o braço doía muito, a perna não agüentava mais marchar, a posição de descansar era uma luta e o melhor era quando estávamos em movimento.
    Até que começou algumas corridas com suas cantorias e assim foi animando o grupo, canções, e depois ficar em forma, sem mentira fazíamos cerca de 150, 200 vezes a mesma coisa ao dia até chegar numa determinada perfeição.
    Quando foi umas 15hs uma pausa de 20min, e para voltar no toque da corneta, Nossa! Todos saíram correndo para tomar água e lavar o rosto, pois pó e suor estavam em abundância. Ao soar a corneta todos correndo para ficar em forma, lembrando que quando o aluno tem que fazer algo é sempre correndo. Após esse descanso de 20min ficamos em forma novamente e repetimos esses comandos mais dezenas de vezes, até porque tudo tem que está perfeito o governador do estado irá nos receber daqui 2 dias.
    Ao final do dia com o sol já mais suave, repetimos a entrada e vimos o quanto ficou bonito, todos em forma entrando na academia que por sua vez é bela, com um pátio gigante, e vimos que o militarismo é uma coisa de outro mundo mesmo.
    Quando foi 18hs e alguns minutos, ficamos em forma, recebemos instruções e finalmente recebemos o comando de fora de forma.
    Fomos pra casa para descansar no final de semana. Novamente encontramos os colegas e contaram mais novidades, no final disso tudo estávamos animados e demos muitas risadas dos acontecidos mais com um único pensamento final, ser um Policial Militar.

    É isso aí caro leitor, boa sorte ao futuros PMGO, e aos PMDF, vamos ter paciência e esperar a nossa vez!

    Grato pela atenção,
    Sabbatini

    Fonte: http://tonysabbatini.blogspot.com/2010/07/1-dia-do-curso-de-formacao-da-primeira.html

    Curtir

  23. Pingback: Curso de Formação de Praças… « Aderivaldo Cardoso

  24. judson

    Gostaria de saber em números os exercicios fisico
    corrida, barras etc.

    uma abraço , muito bom o site.

    Curtir

  25. Rafael Stivado

    Estou indo para o terceiro curso de formação, “sera esse meu carma?” Kkkkk. Aproveitemos, será uma das melhores fases. Amizades que durarão a vida toda!!!! EPM

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s