Qual o nosso maior problema?

Essa semana almoçando com um amigo, tive a oportunidade de levantar algumas questões que considero interessantes, no que se refere a Segurança Pública de nossa cidade e quiçá de nosso país…
Se hoje eu tivesse a oportunidade de perguntar algo a um Especialista em Segurança Pública eu faria a seguinte pergunta:

Qual o maior problema da Polícia Militar atualmente?

Sei que várias respostas surgiriam. Alguns tenderiam para os salários, outros para a formação deficitária. Teríamos respostas voltadas para a falta de equipamentos, estímulos profissionais, planos de carreira, falta de administração e vários outros temas…

Não consigo vizualizar mudanças no sentido Macro, antes de passar pelo Micro. Quando falamos na Instituição Polícia Militar, estamos falando do Macro, mas quem compõe a Gloriosa? A Instituição é feita de indivíduos, nossa administração reflete nossas falhas e limitações, enquanto seres individuais dentro do sistema!

A porta de entrada da Corporação é de fundamental importância para o nosso crescimento, enquanto indivíduos e Instituição. Um dos grandes problemas dos integrantes de nossa polícia e o desregramento com as finanças e com a vida emocional (sexual).

A maioria de nós está endividada e não possuí domínio próprio nas principais áreas de nossas vidas. Falta equilíbrio emocional, que reflete no financeiro, que em contra partida reflete na rua em casos de violência ou corrupção!
No Curso de Formação aprendemos que todo dia é o último dia de nossas vidas. Isso nós faz ver a vida como algo passageiro e superficial.

O que você faria se soubesse que hoje é o último dia de sua vida?

A busca pelo poder, quando saciada nos leva a uma busca por “prazeres” diversos, segundo Freud isso é uma tendência natural. Ou você busca prazer no Poder ou no Sexo…

Nós refletimos o que somos por meio de nossa fala, nossas roupas, por meio dos lugares onde frequentamos ou daquilo que comemos…

Por onde temos andado ultimamente?
O que temos comido?
O que andamos falando?
Onde a maioria de nossos companheiros tem morrido?
Quais são nossas maiores fraquezas?
Quem nos colocou nessa órbita aonde nos encontramos?
Quem nos iludiu nos fazendo pensar que somos tão poderosos?
Por que alguns se acham Deuses dentro da Corporação?
Porque queremos ter uma vida que não nos pertence?

Sempre falei nesse espaço, que acredito na “revolução cultural” dentro da Corporação como algo que refletirá em nossa administração…
Uma grande mudança seria acrescentar nos cursos de formação a disciplina “administração financeira” ou “administração pessoal”, além é claro de uma conversa franca sobre domínio próprio e equilíbrio…

Nosso desequilíbrio em nossa vida pessoal, reflete em nossa vida profissional…Pensem nisso!!

”Mens sana in corpore sano”

“Um homem sem firmeza de caráter nunca pode ser considerado dono de si. Ele pertence a qualquer coisa que possa fazê-lo cativo.”

“Quando somos tolos, queremos conquistar o mundo; quando somos sábios, queremos conquistar a nós mesmos. Isso começa quando fazemos a coisa certa, não importa como nos sintamos a respeito.”

About these ads

1 comentário

Arquivado em Aderivaldo, reestruturação das polícias

Uma resposta para “Qual o nosso maior problema?

  1. Cláudio

    Uma boa colocação quanto aos questionamentos pessoais e morais, diante de uma ação de investidura de poder do estado sobre o indivíduo, o que na falta de formação adequada acaba por conduzí-lo a se tornar objeto de seus algozes, projetando suas revoltas e fracassos nos que são desprovidos de segurança. Acrescenta-se a este questinamento a influÊncia do sistema militarizado, incompatível com a formação humanitária, que acaba gerando conflitos e traumas sobre o indivíduo, fazendo com que este perca a sua capacidade de liderança, de resolução de conflitos, de improvisação e argumentação, para tornar-se um mero executor de ordens infundadas, apático e sem auto-estima, fazendo-o acreditar que um dia exercerá um cargo de liderança e terá de responder pelos seus atos. São os absurdos que limitam e adoecem a tropa, quando se nega a capacidade de gerar indivíduos capazes de exercerem com afinco À sua profissão.

    Comentario realizado pelo SD Roberto Diniz. Envie comentário posterior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s